QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DE MEIAS-CARCAÇAS BOVINAS ORIUNDAS DE MATADOUROS-FRIGORÍFICOS DO ESTADO DE GOIÁS HABILITADOS PARA EXPORTAÇÃO

  • Alberto Teixeira França Filho
  • Albenones José de Mesquita
  • Jaison Pereira de Oliveira
  • Cláudia Peixoto Bueno
  • Janaína Holanda Lopes
  • Marília Vargas Couto
  • Natália Mendonça Ferreira Borges

Resumo

Com o incremento das exportações, estimulado pela globalização da economia, o Brasil vem conseguindo aumentar expressivamente a comercialização de produtos cárneos para o exterior. Os órgãos de fiscalização e regulamentação têm a necessidade de estabelecer padrões bacteriológicos para esses produtos, visando garantir que eles cheguem à prateleira sem risco à saúde de consumidor ou mesmo com aspecto repugnante. Muitos são os padrões bacteriológicos adotados pelos países importadores com o intuito de verificar a qualidade da carne bovina importada.Dentre esses padrões, em boa parte desses países, estão incluídas análises bacteriológicas, tais como contagens e determinações do número mais provável (NMP) dos microrganismos indicadores, além de contagens e pesquisa de patógenos. O presente estudo buscou avaliar a qualidade bacteriológica das meias-carcaças oriundas de matadouros-frigoríficos do Estado de Goiás, habilitados à exportação, e oferecer informações para que os órgãos federais de regulamentação e fiscalização possam especificar padrões para essas carnes. Foram avaliadas 160 meias-carcaças bovinas, quentes e refrigeradas, no período de junho a setembro de 2004. Realizaram-se as seguintes análises: determinação do NMP de coliformes totais, coliformes fecais e Escherichia coli; contagem padrão de microrganismos aeróbios mesófilos, estritos ou facultativos viáveis, contagem de microrganismos psicrófilos, contagem de Staphylococcus coagulase-positivo e contagem de Clostridia sulfito-redutor. Os resultados obtidos revelaram que a qualidade bacteriológica das meias-carcaças é aceitável, mostraram os microrganismos eleitos importantes para a avaliação do “status bacteriológico” e também que não houve diferença estatística significativa entre os resultados das análises bacteriológicas das meias-carcaças quentes e refrigeradas. Contudo, há necessidade de vigilância constante por parte do controle de qualidade das indústrias, afim de evitar que os valores, considerados aceitáveis, bem como os padrões bacteriológicos vigentes em outros países não sejam ultrapassados. PALAVRAS-CHAVE: Análise bacteriológica, meia-carcaça bovina, qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
31-10-2006
Como Citar
Filho, A. T. F., Mesquita, A. J. de, Oliveira, J. P. de, Bueno, C. P., Lopes, J. H., Couto, M. V., & Borges, N. M. F. (2006). QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DE MEIAS-CARCAÇAS BOVINAS ORIUNDAS DE MATADOUROS-FRIGORÍFICOS DO ESTADO DE GOIÁS HABILITADOS PARA EXPORTAÇÃO. Ciência Animal Brasileira, 7(3), 315-325. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/406
Seção
Medicina Veterinária