RESISTÊNCIA AOS ANTI-HELMÍNTICOS BENZIMIDAZÓIS EM NEMATÓIDES GASTRINTESTINAIS DE PEQUENOS RUMINANTES DO SEMIÁRIDO NORDESTINO BRASILEIRO

Autores

  • Ana Carolina Fonseca Lindoso Melo Universidade Federal do Piauí
  • Claudia Maria Leal Bevilaqua Universidade Estadual do Ceará
  • Iarle Feitosa Reis Secretaria de Agricultura do Estado do Ceará

Palavras-chave:

desenvolvimento da resistência, benzimidazóis, fatores associados, Ceará

Resumo

A resistência a anti-helmínticos benzimidazóis é relatada como um antigo e persistente problema em diversas partes do mundo. O desenvolvimento da resistência depende da presença de promotores, os quais podem ser fatores operacionais, genéticos e bioecológicos. O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência da resistência a anti-helmínticos benzimidazóis e estudar algumas variáveis associadas ao desenvolvimento da resistência em fazenda de criações de pequenos ruminantes numa área semiárida do Nordeste brasileiro. O trabalho foi realizado em 25 fazendas de ovinos e caprinos localizadas nos municípios de Limoeiro do Norte, Palhano, Jaguaruana, Itaiçaba, Aracati, Alto Santo, Morada Nova e Jaguaribe, no estado do Ceará, Brasil. O procedimento usado para detectar nematoides resistentes a anti-helmínticos foi o teste de redução na contagem de ovos nas fezes. Além disso, aplicou-se um questionário sobre práticas de manejo, infraestrutura, utilização de anti-helmínticos, estado sanitário do rebanho e assistência veterinária. Analisaram-se os dados mediante a utilização do programa estatístico RESO e os questionários por meio da correlação de Spearman e  GLM simples. Nas fazendas de ovinos, a prevalência da resistência a benzimidazóis foi de 88% e em fazendas de caprinos de 87,5%. Em fazendas de ovinos e caprinos, Haemonchus spp. foi o gênero mais prevalente, seguido de Trichostrongylus spp. e Oesophagostomum spp. Das variáveis estudadas, o tratamento na estação seca mostrou-se estatisticamente significativo (P=0,03), a rotação de pastagem não significativa (P=0,17), porém apresentando um valor preditivo do desenvolvimento da resistência.

PALAVRAS-CHAVES: Benzimidazóis, Ceará, desenvolvimento da resistência, fatores associados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Fonseca Lindoso Melo, Universidade Federal do Piauí

Profa. Dra. Universidade Federal do Piauí/Campus Ministro Reis Velloso 

Departamento de Biomedicina

Doenças Parasitárias

Claudia Maria Leal Bevilaqua, Universidade Estadual do Ceará

Profa, Dra, Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias

Pesquisador 2 CNPq

Iarle Feitosa Reis, Secretaria de Agricultura do Estado do Ceará

Médico Veterinário, Msc

Downloads

Publicado

03-04-2009

Como Citar

Melo, A. C. F. L., Bevilaqua, C. M. L., & Reis, I. F. (2009). RESISTÊNCIA AOS ANTI-HELMÍNTICOS BENZIMIDAZÓIS EM NEMATÓIDES GASTRINTESTINAIS DE PEQUENOS RUMINANTES DO SEMIÁRIDO NORDESTINO BRASILEIRO. Ciência Animal Brasileira, 10(1), 294–300. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/3886

Edição

Seção

Medicina Veterinária