DESEMPENHO REPRODUTIVO DE FÊMEAS BUBALINAS CRIADAS EM SISTEMA MISTO (VÁRZEA E PASTAGEM ARTIFICIAL) NO ESTADO DO PARÁ. I. IDADE A PRIMEIRA CRIA, INTERVALO ENTRE PARTOS, EPOCA DE PARIÇÃO, EFICIÊNCIA REPRODUTIVA E TAXA DE PRENHEZ

  • Sebastião Tavares Rolim Filho UFPA
  • Haroldo Francisco Lobato Ribeiro
  • William Gomes Vale UFRA
  • Nayma da Silva Picanço
  • Elizabeth Machado Barbosa
  • Rafaela Nunes Ferreira
Palavras-chave: Amazônia, Búfalos, Eficiência Reprodutiva

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar a eficiência reprodutiva de bubalinos criados em sistema misto (várzea e terra firme/pastagem artificial) em uma fazenda experimental no município de Belém, Estado do Pará. Analisaram-se 770 registros de fêmeas bubalinas, entre 1974 a 2005, totalizando 2.115 registros de partos. Selecionaram-se 57 búfalas, para a inseminação artificial em tempo fixo (IATF), as quais foram divididas em dois grupos – grupo 1 (G1) com 31 animais e grupo 2 (G2) com 26 –, submetidas à sincronização pelo protocolo Ovsynch e inseminadas com 00:00h (G1) e 24:00h (G2), após a última aplicação de GnRH. A média de idade ao primeiro parto (IPP) do rebanho foi de 39,52±7,54. As médias e os desvios-padrão para idade ao primeiro parto (IPP) e sua relação com os sistemas de monta natural (MN), inseminação artificial (IA) e inseminação artificial em tempo fixo (IATF) foram de 39,5±6,58; 39,6±9,85 e 36,6±7,12 meses respectivamente. Considerando-se o período climático, na época mais chuvosa, as médias da IPP e do intervalo entre partos (IEP) foram de 39,40±7,29 e 17,09±4,71, e na menos chuvosa, de 38,74±7,76 e 18,89±4,27 meses, respectivamente. A média do IEP do rebanho foi de 16,54±3,74 meses. Em relação ao sistema de reprodução, essa média variou para 17,31 (MN), 18,43 (IA), e 20,79 (IATF) meses. Houve uma maior concentração dos partos entre os meses de março e agosto. A média e desvio-padrão da eficiência reprodutiva (ER) do rebanho foi de 0.67±0,13 e para os sistemas de MN, IA e IATF, apresentando médias de 0,69; 0,56; 0,63, respectivamente. A taxa de prenhez foi 25,81% (08/31) nos animais inseminados em 00:00h e de 30,77 % (08/26) nos inseminados com 24:00h após a aplicação de GnRH.

PALAVRAS-CHAVES: Bubalinos, eficiência reprodutiva, intervalo entre partos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sebastião Tavares Rolim Filho, UFPA
Pós-graduando em Ciência Animal
Publicado
30-09-2009
Como Citar
Rolim Filho, S. T., Ribeiro, H. F. L., Vale, W. G., Picanço, N. da S., Barbosa, E. M., & Ferreira, R. N. (2009). DESEMPENHO REPRODUTIVO DE FÊMEAS BUBALINAS CRIADAS EM SISTEMA MISTO (VÁRZEA E PASTAGEM ARTIFICIAL) NO ESTADO DO PARÁ. I. IDADE A PRIMEIRA CRIA, INTERVALO ENTRE PARTOS, EPOCA DE PARIÇÃO, EFICIÊNCIA REPRODUTIVA E TAXA DE PRENHEZ. Ciência Animal Brasileira, 10(3), 754-763. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/3422
Seção
Produção Animal