DESCRIÇÃO DE DUAS TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA CASTRAÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS E AVALIAÇÃO DO PÓS-OPERATÓRIO

  • Luiz Antônio Franco da Silva
  • Cinara Faria Almeida
  • Paulo Roberto Lucas Viana Filho
  • Antônio Carlos Cordeiro Veríssimo
  • Rogério Elias Rabelo
  • Duvaldo Eurides
  • Maria Clorinda Soares Fioravanti

Resumo

Descrição de duas técnicas cirúrgicas de castração de fêmeas bovinas, com análise das complicações pós-operatórias, em que se utilizaram 1.232 animais de diferentes raças e idades, procedentes de várias propriedades rurais do estado de Goiás. Os bovinos foram alocados em três grupos, assim constituídos: grupo I – 436 bezerras, com idade entre oito e 12 meses, castradas via flanco; grupo II –397 novilhas e vacas, que foram esterilizadas pelo mesmo método do grupo I; grupo III – 399 vacas ovariectomizadas por via vaginal, utilizando-se o emasculador de Chassaignac.Em avaliação das técnicas cirúrgicas, concluiu-se que a castração pelo flanco foi o método de mais fácil execução e que demandou o menor tempo de transoperatório. A análise pelo teste c2 indicou que a cirurgia via vaginal implicou menos complicações pós-operatórias que a via flanco, porém levou a um maior número de óbitos. A castração via flanco é,– portanto, a técnica mais apropriada para a esterilização de fêmeas bovinas PALAVRAS-CHAVE: Ovariectomia, bovinos, pós-operatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-10-2006
Como Citar
Silva, L. A. F. da, Almeida, C. F., Viana Filho, P. R. L., Veríssimo, A. C. C., Rabelo, R. E., Eurides, D., & Fioravanti, M. C. S. (2006). DESCRIÇÃO DE DUAS TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA CASTRAÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS E AVALIAÇÃO DO PÓS-OPERATÓRIO. Ciência Animal Brasileira, 5(1), 49-54. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/313
Seção
Medicina Veterinária