AVALIAÇÃO DO SUCO RUMINAL DE BOVINOS “A FRESCO” E APÓS 12 HORAS DE CONSERVAÇÃO

  • Naida Cristina Borges
  • Luiz Antônio Franco Silva
  • Maria Clorinda Soares Fioravanti
  • Paulo Henrique Jorge da Cunha
  • Rosana Rezende Moraes
  • Patrícia Lorena Guimarães
  • Márcio Eduardo Pereira Martins

Resumo

Avaliaram-se no presente estudo os parâmetros físicos (cor, odor, consistência e tempo de sedimentação e flotação), químicos (pH, e tempo de redução do azul de metileno) e biológicos (avaliação dos protozoários in vitro, contagem de infusórios e percentagem de protozoários viáveis) do suco ruminal de 50 fêmeas bovinas adultas clinicamente saudáveis, imediatamente após a colheita e ao final de 12 horas de armazenamento em garrafas térmicas comuns. Utilizaram-se animais em lactação, da raça Girolando, e alimentados a pasto de Brachiaria decumbens. As análises foram realizadas em uma amostra individual de, aproximadamente, 400 ml de suco ruminal, colhida com sonda oroesofágica do tipo Schambye e Sorensen. Os resultados foram avaliados por meio de estatística descritiva e teste “t” de student para amostras pareadas (P<0,05). Os aspectos físicos, a avaliação in vitro dos infusórios e o número de protozoários por mililitro encontravam-se dentro dos padrões de normalidade na primeira avaliação, porém, após 12 horas de conservação, foram observadas alterações sugestivas de modificações na microbiota do suco ruminal. Constataram-se, após conservação, reduções estatísticas significativas em relação ao pH, percentual de protozoários viáveis e aumento no tempo de redução do azul de metileno (PRAM). Conclui-se que a garrafa térmica comum pode ser usada como opção na conservação de suco ruminal de bovinos em situações de clínica de campo, porém a análise no momento da colheita apresenta resultados mais fidedignos. PALAVRAS-CHAVE: Bovinos, fluido ruminal, métodos de conservação, pH, protozoários.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
24-10-2006
Como Citar
Borges, N. C., Silva, L. A. F., Fioravanti, M. C. S., Cunha, P. H. J. da, Moraes, R. R., Guimarães, P. L., & Martins, M. E. P. (2006). AVALIAÇÃO DO SUCO RUMINAL DE BOVINOS “A FRESCO” E APÓS 12 HORAS DE CONSERVAÇÃO. Ciência Animal Brasileira, 3(2), 57-63. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/280
Seção
Medicina Veterinária