As tempestades de Shakespeare e de Peter Greenaway: construção e desconstrução intersemióticas

  • Jorge Alves Santana

Resumo

O texto literário foi constantemente dinamizado, no século XX, por novas tecnologias midiáticas. Destaca-se, nessas relações intersemióticas, o diálogo entre literatura e cinema. Se, por sua vez, a literatura auxiliou o cinema a estabelecer-se como arte, este dinamizou, enriqueceu e divulgou a escrita artística. Sob essa perspectiva, este artigo trata do diálogo que a arte contemporânea trava com obras clássicas da literatura universal. Para demonstrar essas imbricações, trabalhamos com A tempestade, peça de Shakespeare, e com Prospero’s books, filme de Peter Greenaway.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
06-04-2008
Como Citar
Santana, J. A. (2008). As tempestades de Shakespeare e de Peter Greenaway: construção e desconstrução intersemióticas. Signótica, 18(1), 73-83. https://doi.org/10.5216/sig.v18i1.3720
Seção
Artigo