DETERMINISMO MORAL EM HUME: A APOSTA NA REGULARIDADE

Autores

  • Andrea Cachel USP

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v12i1.4084

Palavras-chave:

ação humana, determinismo, regularidade, vontade.

Resumo

Hume, no segundo livro do Tratado e na Investigação acerca do Entendimento Humano, sustenta a posição de que a vontade atua segundo a necessidade e não conforme a liberdade. A filosofia humeana é defensora da existência de uma causa necessária para as ações voluntárias, causa essa que não seria a vontade, como iniciadora da cadeia causal, mas sim algo anterior que a determina na geração de efeitos necessários. Este artigo pretende expor seus argumentos, mostrando como essa temática evidencia a importância que passa a ter a busca por regularidades, o que pretende nos permitir breves reflexões sobre o estatuto conferido por Hume a certas áreas do conhecimento, bem como a respeito do estatuto da própria filosofia humeana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Cachel, USP

Doutoranda em Filosofia, na USP. Bolsista da FAPESP

Downloads

Publicado

31-12-2008

Como Citar

Cachel, A. (2008). DETERMINISMO MORAL EM HUME: A APOSTA NA REGULARIDADE. Philósophos - Revista De Filosofia, 12(1). https://doi.org/10.5216/phi.v12i1.4084