INFLUÊNCIA ESTOICA NA CONCEPÇÃO DE <em>STATUS</em> E <em>DICTUM</em> COMO <em> QUASI RES </EM> (&#8033;&sigma;&alpha;&nu;&epsilon;&igrave; &tau;&iota;&nu;&#940;) EM ABERLARDO

Autores

  • Guy Hamelin Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v16i1.12437

Palavras-chave:

Abelardo, estoicismo, ontologia, lógica

Resumo

Na sua obra, Pedro Abelardo (1079-1142) destaca duas noções metafísicas que fundamentam sua teoria lógica: o status e o dictum propositionis, ao causar, respectivamente, a imposição (impositio) dos termos universais e o valor de verdade das proposições. Trata-se de expressões que se referem a naturezas ontológicas peculiares, na medida em que não são consideradas coisas (res), mesmo que constituem causas. Todavia, também não são nada. Abelardo as chama de ‘quase coisas’ (quasi res). No presente artigo, explicamos, primeiro, essas duas noções essenciais da lógica abelardiana, antes de tentar, em seguida, encontrar a fonte dessa metafísica particular. Em oposição a comentadores importantes da lógica de Abelardo, que estimam que haja uma forte influência platônica sobre essa concepção específica, defendemos antes, com apoio de textos significativos e de acordo com o nominalismo abelardiano, que a maior ascendência sobre a metafísica do nosso autor é a do estoicismo, sobretudo, antigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guy Hamelin, Universidade de Brasília

Professor Doutor no Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília (UnB)

Downloads

Publicado

07-12-2010

Como Citar

Hamelin, G. (2010). INFLUÊNCIA ESTOICA NA CONCEPÇÃO DE &lt;em&gt;STATUS&lt;/em&gt; E &lt;em&gt;DICTUM&lt;/em&gt; COMO &lt;em&gt; QUASI RES &lt;/EM&gt; (&amp;#8033;&amp;sigma;&amp;alpha;&amp;nu;&amp;epsilon;&amp;igrave; &amp;tau;&amp;iota;&amp;nu;&amp;#940;) EM ABERLARDO. Philósophos - Revista De Filosofia, 16(1), DOI: 10.5216/phi.v16i1.12437. https://doi.org/10.5216/phi.v16i1.12437

Edição

Seção

Artigos Originais