DOSES E FORMAS DE APLICAÇÃO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA NA ROTAÇÃO SOJA, MILHETO E ALGODÃO EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

  • Alberto Carlos de Campos Bernardi Embrapa Pecuária Sudeste
  • Juarez Patrício de Oliveira Júnior UFG
  • Wilson Mozena Leandro UFG
  • Tiago Gomes da Silva Mesquita UFG
  • Maria da Conceição Santana Carvalho Embrapa Algodão
  • Pedro Luiz de Freitas
Palavras-chave: Glycine max, Pennisetum, Gossypium hirsutum, qualidade da fibra, eficiência agronômica

Resumo

Este estudo teve como objetivo avaliar a eficiência da adubação potássica, com relação às doses, modos (sulco, a lanço e parcelada) e épocas de aplicação (pré-semeadura, semeadura e cobertura), na sucessão de culturas soja-milheto-algodoeiro, cultivadas em sistema plantio direto, em Latossolo Vermelho, no município de Turvelândia, Goiás (17o51’S, 50o18’W). O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados, com quatro repetições, em esquema fatorial. A fonte de potássio utilizada nas adubações foi o cloreto de potássio. Na soja, os tratamentos utilizados foram doses de K2O (0 kg ha-1, 30 kg ha-1, 60 kg ha-1 e 180 kg ha-1), aplicadas em pré-semeadura (a lanço) e na semeadura (no sulco), com e sem cobertura. Na cultura do algodoeiro, os tratamentos foram doses de K2O (0 kg ha-1, 60 kg ha-1, 120 kg ha-1 e 240 kg ha-1), aplicadas em pré-semeadura (a lanço) e na semeadura (no sulco), com 0, 1 ou 2 coberturas. A adubação em pré-semeadura foi realizada no milheto. Não houve efeito da adubação potássica sobre a produtividade da cultura da soja. O milheto, como cobertura do solo, aproveitou, mais eficientemente, a dose de 60 kg ha-1 de K2O, aplicada na cultura da soja. Para a cultura do algodoeiro, a maior eficiência agronômica foi obtida com dose de 146 kg ha-1 de K2O, em pré-semeadura. Os resultados indicaram, também, que houve efeito positivo da adubação potássica sobre a qualidade da fibra do algodão.

PALAVRAS-CHAVE: Glycine max; Pennisetum; Gossypium hirsutum; qualidade da fibra; eficiência agronômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juarez Patrício de Oliveira Júnior, UFG
Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, GO.
Wilson Mozena Leandro, UFG
Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, GO.
Tiago Gomes da Silva Mesquita, UFG
Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, GO.
Maria da Conceição Santana Carvalho, Embrapa Algodão
Embrapa Algodão, Núcleo de Goiás. Caixa Postal 714, 74001-970 Goiânia, GO.
Pedro Luiz de Freitas

Embrapa Solos, Rua Jardim Botânico, 1024, Rio de Janeiro, RJ, CEP:22460-000

Publicado
18-06-2009
Como Citar
BERNARDI, A. C. DE C.; OLIVEIRA JÚNIOR, J. P. DE; LEANDRO, W. M.; MESQUITA, T. G. DA S.; CARVALHO, M. DA C. S.; FREITAS, P. L. DE. DOSES E FORMAS DE APLICAÇÃO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA NA ROTAÇÃO SOJA, MILHETO E ALGODÃO EM SISTEMA PLANTIO DIRETO. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 39, n. 2, p. 158-167, 18 jun. 2009.
Seção
Artigo Científico