ADUBAÇÃO MINERAL E ORGÂNICA DA ABÓBORA HÍBRIDA: ESTADO NUTRICIONAL E PRODUÇÃO

Autores

  • Natan Fontoura Silva UFG
  • Paulo Cezar Resende Fontes UFV
  • Francisco Affonso Ferreira UFV
  • Antônio Américo Cardoso UFV

Palavras-chave:

Abóbora híbrida, moranga híbrida, teores de nutrientes, nível crítico, Cucurbita maxima x C. Moschata

Resumo

Com finalidade de avaliar a resposta da cultura da abóbora híbrida cv. Tetsukabuto à adubação orgânica e mineral, foram realizados sete experimentos em Ponte Nova, Minas Gerais, em solo podzólico vermelho-amarelo câmbico fase terraço. Cada experimento se deu em uma época de amostragem, iniciada aos 21 dias e encerrada aos 105 dias após a semeadura, com intervalos de 14 dias. Nestes foram testados cinco tratamentos de adubação mais um tratamento-controle (sem adubação). Nos tratamentos de adubação, definidos por meio de um corte em diagonal de um fatorial completo, foram aplicadas as doses de 0, 3, 6, 9 e 12 t/ha (base seca) de composto orgânico de bagaço de cana e de resíduos de suínos, associadas com as doses de 0,772; 0,579; 0,386; 0,193 e 0 t/ha de 4-14-8, respectivamente, em quatro repetições, no delineamento de blocos ao acaso. A substituição parcial da adubação mineral pela orgânica aumentou o número de folhas da planta, o comprimento da rama principal e a produtividade de frutos. A produtividade de frutos máxima e a de maior eficiência econômica, 13,596 e 13,368 t/ha, foram atingidas com as doses de 6.402 kg/ha do composto orgânico e 360 kg/ha de 4-14-8 e com a dose de 5.247 kg/ha do composto e 434 kg/ha de 4-14-8, respectivamente. Os teores de N, P, K, S, Ca e Mg, aos 49 dias após a semeadura, na matéria seca do limbo foliar da planta de abóbora, associados com a dose de máxima eficiência econômica, foram 38,8; 5,2; 27,5; 2,5; 21,3 e 3,8, respectivamente. Estes valores, aos 63 dias após a semeadura, foram 43,8; 4,7; 24,4; 2,5; 18,3 e 5,3, respectivamente. Aos 105 dias após a semeadura, os conteúdos de N, P, K, S, Ca e Mg na parte aérea, estimados e expressos em g/planta, foram de 27,8; 4,7; 26,7; 1,8; 10,1 e 4,8, respectivamente.

PALAVRAS-CHAVE: Abóbora híbrida; moranga híbrida; teores de nutrientes; nível crítico; Cucurbita maxima x C. Moschata.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

13-12-2007

Como Citar

SILVA, N. F.; FONTES, P. C. R.; FERREIRA, F. A.; CARDOSO, A. A. ADUBAÇÃO MINERAL E ORGÂNICA DA ABÓBORA HÍBRIDA: ESTADO NUTRICIONAL E PRODUÇÃO. Pesquisa Agropecuária Tropical, [S. l.], v. 29, n. 1, p. 19–28, 2007. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/2882. Acesso em: 11 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigo Científico