EDUCAÇÃO DO CORPO NA E PELA LINGUAGEM DA LEI: POTENCIALIDADES DA LEGISLAÇÃO COMO FONTE.

Autores

  • Andrea Moreno
  • Verona Campos Segantini UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v11i1.1822

Palavras-chave:

educação do corpo, cidade, legislação.

Resumo

O estudo investiga a educação do corpo nos espaços de sociabilidade do urbano em Belo Horizonte, de 1897 a 1905. A legislação apresentou-se como uma fonte importante, pois, são textos privilegiados, codificando valores desejáveis e regulamentando comportamentos sociáveis. Possibilita a análise de projetos imaginados pelo poder público, estipulando regras para utilização do espaço urbano. Os decretos deixam claras as intenções do Estado, em regular a relação da sociedade com o espaço que vai ocupar e deixam ver que a crescente urbanização vai categorizando espaços, determinando práticas sociais autorizadas ou ocultadas, criando uma nova sensibilidade para o corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Moreno

Professora doutora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais e pesquisadora sobre História da Educação Física.

Verona Campos Segantini, UFMG

Estudante do Curso de História da UFMG, bolsista de Iniciação Científica (probic/fapemig)

Downloads

Publicado

26-03-2008

Como Citar

Moreno, A., & Segantini, V. C. (2008). EDUCAÇÃO DO CORPO NA E PELA LINGUAGEM DA LEI: POTENCIALIDADES DA LEGISLAÇÃO COMO FONTE. Pensar a Prática, 11(1), 71–80. https://doi.org/10.5216/rpp.v11i1.1822

Edição

Seção

Seção Livre