ATIVIDADE FÍSICA HABITUAL E CAPACIDADE FUNCIONAL PERCEBIDA DE IDOSAS DO SUL DO BRASIL.

Autores

  • Grasiely Faccin Borges Universidade Federal do Amazonas
  • Tânia Rosane Bertoldo Benedetti Universidade Federal de Santa Catarina
  • Sidney Ferreira Farias Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v14i1.12314

Palavras-chave:

Atividade motora. Idoso. Centros de Convivência e Lazer.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo verificar a associação entre o nível de atividade física habitual e a capacidade funcional percebida, de idosas participantes de grupos de convivência. A amostra foi constituída por 92 mulheres com idade entre 60 e 98 anos (Média: 68,1 ±7,0 anos), participantes de um grupo convivência de idosos de um Município da região Sul do Brasil. Para coleta de dados foi utilizada uma entrevista. Testou-se a associação entre as variáveis através do teste qui- quadrado. Verificou-se associação entre o nível de atividade física habitual e capacidade funcional relatada (Qui-Quadrado= 18,9; p<0,001). A partir deste contexto destaca-se a importância de se manter uma prática regular de atividades físicas, para a manutenção da saúde e de uma boa capacidade funcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grasiely Faccin Borges, Universidade Federal do Amazonas

Professora Assitente I do Instituto de Saúde e Biotecnologia da Universidade Federal do Amazonas.

Tânia Rosane Bertoldo Benedetti, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Doutora do Centro de Desportes da Universidade Federal de Santa Catarina.

Sidney Ferreira Farias, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor Doutor do Centro de Desportes da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

27-05-2011

Como Citar

Borges, G. F., Benedetti, T. R. B., & Farias, S. F. (2011). ATIVIDADE FÍSICA HABITUAL E CAPACIDADE FUNCIONAL PERCEBIDA DE IDOSAS DO SUL DO BRASIL. Pensar a Prática, 14(1). https://doi.org/10.5216/rpp.v14i1.12314

Edição

Seção

Artigos Originais