Crise e renovação da esquerda latino-americana na transição democrática DOI10.5216/o.v14iespecial.30632

Autores

  • Cristiano Pinheiro de Paula Couto Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v14iEspecial.30632

Palavras-chave:

América Latina, Esquerda, Transição democrática

Resumo

A decantada “crise de paradigmas” terá relação, de acordo com Gumbrecht, com a emergência, no imediato pós-Segunda Guerra Mundial, de um “clima de latência”, a sensação, ainda atuante, de que algo intangível vigora. O capitalismo tardio rege-se pela lógica de uma nova experiência de tempo histórico em que o passado, como “passageiro clandestino”, resiste em passar, o presente dilata-se e o futuro alberga ameaças. Nesse mundo em que Habermas reconheceu o “esgotamento das energias utópicas”, que tipo de telos poderia ser perseguido pela esquerda latino-americana? A proposta deste artigo é analisar como essa crise repercutiu nas conceptualizações teórico-políticas de três formações da esquerda latino-americana, atuantes no contexto da denominada transição democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Pinheiro de Paula Couto, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP

Bacharel e Licenciado em História pela UFSC, Mestre em História pela UFSC, Doutor em História pela UFRGS e Bolsista PDJ do CNPq.

Downloads

Publicado

16-03-2015

Como Citar

Pinheiro de Paula Couto, C. (2015). Crise e renovação da esquerda latino-americana na transição democrática DOI10.5216/o.v14iespecial.30632. OPSIS, 14(Especial), 369–393. https://doi.org/10.5216/o.v14iEspecial.30632

Edição

Seção

Dossiê América Latina no contexto da Guerra Fria