As guerras frias do Cone Sul: Argentina, Brasil, Chile e Uruguai (1945-1952) DOI10.5216/o.v14iespecial.30060

Autores

  • Ernesto Bohoslavsky Universidade Nacional de General Sarmiento, Buenos Aires
  • Mariana Inés Iglesias Caramés Universidad de la República, UDeLaR, Montevideo

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v14iEspecial.30060

Palavras-chave:

Cone sul, Segunda guerra mundial, Guerra fria, Liberalismo, Anticomunismo

Resumo

Este artigo mostra como alguns jornais e partidos políticos liberal-progressistas (no governo ou na oposição) processaram os eventos vinculados ao final da segunda guerra mundial e o começo da guerra fria na Argentina, Brasil, Chile e Uruguai. Tenta-se sinalar que esses atores aproveitaram alguns elementos ideológicos transnacionais (como o antifascismo ou o anticomunismo) para interpretar a realidade política local, para consolidar certa autoimagem nacional e para descrever aos seus adversários políticos. A diversidade de representações do inimigo que tiveram os grupos liberais dos quatro países entre 1945 e 1952 foi gerada por, ao menos, três variáveis: a) a posição do governo e os principais atores políticos frente à guerra (neutralidade x participação; pro-Aliados x pro-Eixo), b) a natureza do regime político vigente (democracia x ditadura); c) as tradições ideológicas presentes durante os anos do conflito bélico e seu poder político e eleitoral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Bohoslavsky, Universidade Nacional de General Sarmiento, Buenos Aires

Pesquisador em história de América latina do Instituto do Desenvolvimento Humano da Unviersidade Nacional de General Sarmiento. Pesquisador dp CONICET, Argentina. Doutor em América latina contemporánea pela Universidade Complutense de Madri, Espanha.

Mariana Inés Iglesias Caramés, Universidad de la República, UDeLaR, Montevideo

Mariana Iglesias es Profesora de Historia (ANEP-IPA), Magíster en Ciencias Sociales (UNGS) y Candidata a Doctora en Ciencias Políticas (UNSAM). Ha sido Becaria del CONICET y de la Universidad de San Martín, Argentina. Actualmente se desempeña como docente en la Facultad de Derecho de la Universidad de la República, Uruguay, y es Candidata a investigador del Sistema nacional de Investigadores (ANII, Uruguay).

Publicado

16-03-2015

Como Citar

Bohoslavsky, E., & Iglesias Caramés, M. I. (2015). As guerras frias do Cone Sul: Argentina, Brasil, Chile e Uruguai (1945-1952) DOI10.5216/o.v14iespecial.30060. OPSIS, 14(Especial), 113–133. https://doi.org/10.5216/o.v14iEspecial.30060

Edição

Seção

Dossiê América Latina no contexto da Guerra Fria