Bossuet em defesa da soberania dos reis DOI 10.5216/o.v13i2.23077

Autores

  • Maria Izabel Barboza de Morais Oliveira Universidade Federal do Maranhão, São Luiz, MA

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v13i2.23077

Palavras-chave:

Bossuet, soberania, França

Resumo

As ideias defendidas por Hugo Grócio e os monarcômacos da Fronda limitavam o poder dos reis. Em 1625, Grócio afirmava que a origem do poder dos reis estava no povo e que no ato do estabelecimento do poder civil o povo não aliena a sua soberania ao governante, apenas a delega, podendo retomá-la quando a família do rei se extingue. Durante a Fronda (1648-1653), as ideias absolutistas que se encontravam em progresso sofreram um considerável refluxo. Os monarcômacos da Fronda defendiam que o povo era a própria fonte do poder. Em contra-ataque às ideias defendidas por Grócio e os monarcômacos, Bossuet busca mostrar, nos livros primeiro e terceiro da sua Politique, redigidos entre 1677 e 1679, que o poder dos reis vem diretamente de Deus e que o povo é completamente alienado de sua vontade quando da instituição dos governantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Izabel Barboza de Morais Oliveira, Universidade Federal do Maranhão, São Luiz, MA

Mestrado em História Social na UFF, doutorado em História Cultural na UnB. Professora adjunta de História Moderna no Departamento de História da Universidade Federal do Maranhão. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em História da mesma instituição.

Downloads

Publicado

16-02-2014

Como Citar

Oliveira, M. I. B. de M. (2014). Bossuet em defesa da soberania dos reis DOI 10.5216/o.v13i2.23077. OPSIS, 13(2), 273–291. https://doi.org/10.5216/o.v13i2.23077

Edição

Seção

Artigos