O teatro de Albert Camus como fonte de interpretação para o século XX

inspirações artísticas para uma época violenta

Autores

  • Rodrigo de Freitas Costa Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, Minas Gerais, Brasil, rodrigo.costa@uftm.edu.br https://orcid.org/0000-0001-5987-611X

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v26i2.68627

Resumo

O século XX foi um período marcado por contundentes autoritarismos que impactaram a sua produção artística, são vários os artistas e intelectuais que responderam à violência política lançando mão de aspectos temáticos e formais para fazer da arte uma forma de resistência e luta. Nesse amplo contexto, encontra-se a figura do escritor franco-argelino Albert Camus (1913-1960) que se tornou mundialmente conhecido por seus romances, ensaios, bem como por sua atuação na Resistência Francesa e nos embates políticos daí gerados. Neste artigo, trataremos das peças teatrais escritas por Camus ao longo de sua trajetória como escritor, nosso objetivo é compreender como a forma dramática foi importante para o autor se colocar publicamente frente aos temas que marcaram sua época. Além de recuperar os textos teatrais para a análise histórica, buscamos compreender como o autor interpretou os autoritarismos de seu tempo e principalmente como ele nos serve de inspiração para refletir sobre o início do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo de Freitas Costa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, Minas Gerais, Brasil, rodrigo.costa@uftm.edu.br

Professor Associado do Departamento de História da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM - Uberaba-MG), Doutor em História pela Universidade Federal de Uberândia.

Referências

BAKEWELL, Sarah. No café existencialista: o retrato da época em que a filosofia, a sensualidade e a rebeldia andavam juntas. Trad. Denise Bottman. Rio de Janeiro: Objetiva, 2017.

BENTLEY, Eric. O dramaturgo como pensador: um estudo da dramaturgia nos tempos modernos. Tradução de Ana Zelma Campos, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

CAMUS, Albert. Calígula. Cópia digitalizada, sem data.

CAMUS, Albert. Discurso de Albert Camus – Prêmio Nobel de 1957. [on line]. Disponível na internet via: https://blogdo.yurivieira.com/2009/06/discurso-albert-camus/. Acesso em 13 de fevereiro de 2021.

CAMUS, Albert. El malentendido. Obra en tres atos, sem data. E-book.

CAMUS, Albert. Estado de Sítio. Tradução de Alcione Araújo e Pedro Hussak. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 2020.

CAMUS, Albert. O Avesso e o Direito. Tradução de Valerie Rumjanek. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 2020.

CAMUS, Albert. O Estrangeiro. Tradução de Valerie Rumjanek. 5. ed. Rio de Janeiro: BestBolso, 2014.

CAMUS, Albert. Os justos. Tradução de António Quadros. Lisboa: Edições Livros do Brasil, sem data.

CAMUS, Albert. Pourquoi je fais du théâtre?. In: CAMUS, Albert. Albert Camus – Théâtre, récits, nouvelles. Paris: Gallimard, 1999, p. 1720-1725.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. Tradução de Betina Bischof. São Paulo: Cosac e Naify, 2002.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

DE FREITAS COSTA, R. O teatro de Albert Camus como fonte de interpretação para o século XX: inspirações artísticas para uma época violenta. História Revista, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 92–111, 2021. DOI: 10.5216/hr.v26i2.68627. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/historia/article/view/68627. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê "Cultura e barbárie: o mundo em tempos extremos"