Cartografias da cultura underground

o surgimento da subcultura heavy metal no ABC paulista e os deslocamentos da identidade suburbana

Autores

  • Leandro Candido de Souza Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, São Paulo, Brasil, lecanza@yahoo.com https://orcid.org/0000-0003-0217-2618

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v25i3.65668

Resumo

O objetivo desde artigo é analisar o surgimento da subcultura heavy metal na região do ABC paulista, a partir das práticas culturais que envolviam seus subgêneros musicais nas duas últimas décadas do século XX. Analisaremos, particularmente, os processos identitários relacionados à categoria “cena heavy metal” em sua interação com as demais subculturas. Em um primeiro momento, buscaremos estabelecer um referencial teórico para a abordagem desse fenômeno, basicamente em torno dos cutural studies. Na segunda etapa, indicaremos alguns antecedentes relevantes para sua gênese histórica na região, isto é, a consolidação da indústria cultural no Grande ABC. A seguir, procuraremos identificar o núcleo comum apresentado pelos diferentes subgêneros metal, suas diferentes inserções na cultura local e suas principais disputas no campo simbólico. Por fim, indicaremos alguns desdobramentos dessa subcultura inaugurada pelos Headbangers ABC e que se estende até as vertentes contemporâneas do metal extremo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Candido de Souza, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, São Paulo, Brasil, lecanza@yahoo.com

Doutorado em história pela PUC-SP. Realizou pesquisa de pós-doutorado pela Universidade Estadual Paulista (FCL-Assis/FAPESP) e estágios na Universidad de Buenos Aires (FFyL/Cátedra Libre Teoria Crítica y Marxismo Occidental) e na École des Hautes Études en Sciences Sociales (CéSor).

Downloads

Publicado

28-12-2020

Como Citar

de Souza, L. C. (2020). Cartografias da cultura underground: o surgimento da subcultura heavy metal no ABC paulista e os deslocamentos da identidade suburbana. História Revista, 25(3), 232–256. https://doi.org/10.5216/hr.v25i3.65668