Imagem e história

desafios metodológicos para o campo Trabalho-Educação

Autores

  • Renata Reis Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Manguinhos, Rio de Janeiro, Brasil, renata.reis@fiocruz.br http://orcid.org/0000-0001-9033-3068

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v25i2.63653

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão metodológica sobre o uso da fotografia como fonte para a pesquisa histórica no campo trabalho-educação, a partir do dialogo com alguns autores que pensam o objeto fotográfico, seu caráter monumental e documental, o estatuto e valor da fotografia como fonte arquivística disponível para uso. A partir das imagens pertencentes ao Departamento de Arquivo e Documentação da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, procura analisar as relações de trabalho no Instituto Oswaldo Cruz, atual Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em suas três primeiras décadas de atuação, a partir do universo dos auxiliares de laboratório dos cientistas. Compreendendo que uma imagem é e não é ao mesmo tempo, mostra e dissimula, as fotografias que retratam os auxiliares de laboratório do Instituto carregam um sentido histórico quando percebidas no conjunto de relações sociais de produção da existência, em um determinado contexto, refletindo concepções e ideologias relativas aos atuais trabalhadores técnicos e, em nosso caso particular, aos atuais trabalhadores técnicos da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-10-2020

Como Citar

Reis, R. (2020). Imagem e história: desafios metodológicos para o campo Trabalho-Educação. História Revista, 25(2), 54–75. https://doi.org/10.5216/hr.v25i2.63653