Políticos destituídos e competição partidária em um contexto estadual:

o perfil social e o desempenho eleitoral dos candidatos da União Republicana Paranaense em 1934

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v26i2.61494

Resumo

No presente artigo é desenvolvida uma investigação acerca dos perfis sociais e do desempenho eleitoral dos candidatos de um partido de oposição fundado no Estado do Paraná em 1934. Denominada União Republicana Paranaense (URP), essa grei era comandada por políticos destituídos de seus cargos públicos por ocasião da Revolução de 1930. Há três argumentos sustentados neste trabalho. Primeiro, é evidenciado que, naquela época, o mencionado partido era a principal agremiação oposicionista do Paraná. O segundo argumento afirma que os candidatos mais competitivos ligados à URP eram indivíduos que, ao tempo da Primeira República, ocuparam posições pouco destacadas na administração pública estadual. Terceiro, é demonstrado que a vida política paranaense do início dos anos 1930 tornou-se mais competitiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Aramis Richter Gomes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil, argomes8@gmail.com

Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente realiza estágio de Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná.

Referências

Fontes

A República (PR)

Correio da Manhã (RJ)

Correio do Paraná (PR)

Diário da Tarde (PR)

Diário do Comércio (PR)

Gazeta do Povo (PR)

O Dia (PR)

Sete de Março (PR)

Bibliográficas

ABREU, Alzira Alves de (coord.). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República (1889-1930). Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2015.

ALVES, Alessandro Cavassin. A Província do Paraná (1853-1889): a classe política, a parentela no Governo. Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2014.

ALVES, Luís Fellipe. Elites integralistas em Paranaguá nos anos 1930: organização e estruturas sócio-afetivas. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal do Paraná, 2019.

ARAÚJO, Sílvia; CARDOSO, Alcina. Jornalismo e militância operária. Curitiba: Ed. UFPR, 1992.

ATHAÍDES, Rafael. As paixões pelo sigma: afetividades políticas e fascismos. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2012.

BERSTEIN, Serge. Os partidos políticos. In: RÉMOND, Réne (org.). Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003, p. 57-98.

BERTONHA, João Fábio. Sombras autoritárias e totalitárias no Brasil: integralismo, fascismos e repressão política. Maringá: Ed. UEM, 2013.

CASALECCHI, José Ênio. O Partido Republicano Paulista (1889-1926). São Paulo: Brasiliense, 1987.

CHARLE, Christophe. A prosopografia ou biografias coletivas: balanço e perspectivas. In: HEINZ, Flávio (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006, p. 41-54.

CODATO, Adriano Nervo. Elites e instituições: uma análise contextual do Estado Novo. Tese (Doutorado em Ciência Política). Universidade Estadual de Campinas, 2008.

COSTA, Luiz Domingos; MASSIMO, Lucas; PERISSINOTTO, Renato Monseff. Oligarquia Competitiva e Profissionalização Política: o caso dos senadores brasileiros na Primeira República (1889-1934). Dados, Rio de Janeiro, v. 60, n. 1, 2017, p. 79-110.

DAGOSTIM, Maristela Wessler. A República dos Conselhos: um estudo sobre a transformação do perfil da elite política paranaense (1930-1947). Dissertação (Mestrado em Ciência Política), Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2011.

DIETRICH, Ana Maria. Nazismo tropical? O Partido Nazista no Brasil. Tese (Doutorado em História Social). Universidade de São Paulo. São Paulo, 2007.

DITZEL, Carmencita Holleben de Mello. Imaginários e representações: o Integralismo nos Campos Gerais. Ponta Grossa: Editora da UEPG, 2007.

DUVERGER, Maurice. Os partidos políticos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. UnB, 1980.

FABRIS, Pamela Beltramin. Associativismo e experiência política da população negra em Curitiba (1870-1910). In: SCHEER, Michaele; SPERANZA, Clarice Gontarski. Trabalho, democracia e direitos: trabalho livre e escravizado. Porto Alegre: Editora Fi, 2019, p. 39-63.

FERRARI, Marcela. Prosopografía e historia política: algunas aproximaciones. Antíteses, Londrina, v. 3, n. 5, janeiro-junho de 2010, p. 529-550.

FIGUEIREDO, Vítor Fonseca. Voto e competição política na Primeira República: Minas Gerais. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2016.

GOULART, Mônica Helena Harrich Silva. Classe dominante e jogo político na Assembleia Legislativa Paranaense (1889-1930). Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

GOULART, Mônica Helena Harrich Silva. Entre famílias e secretarias: análise do arranjo político do Paraná (1889-1930). In: OLIVEIRA, Ricardo Costa de (org.). Estado, classe dominante e parentesco no Paraná. Blumenau: Nova Letra, 2015, p. 247-299.

GRANATO, Natália Cristina. O Poder Legislativo Paranaense no contexto da Revolução de 1930: um estudo dos capitais familiares e políticos dos deputados federais e estaduais (1930-1937). Revista do Núcleo de Estudos Paranaenses. Curitiba, v. 1, n. 5, p. 1-39, 2019.

LAPUENTE, Rafael Saraiva. A luta pelo poder: a política gaúcha em perspectiva (1934-1937). Dissertação (Mestrado em História). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2016.

LEVINE, Robert M. O Regime de Vargas: os anos críticos, 1934-1938. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

LEWIN, Linda. Política e parentela na Paraíba: um estudo de caso de oligarquia de base familiar. Rio de Janeiro: Record, 1993.

LYNCH, Christian Edward Cyril. Da Monarquia à oligarquia: história institucional e pensamento político brasileiro (1822-1930). São Paulo: Alameda, 2014.

LOVE, Joseph. A Locomotiva: São Paulo na federação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

NICOLAU, Jairo. As eleições no Brasil: do Império aos dias atuais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2012.

MARIZ, Marlene da Silva. A Revolução de 30 no Rio Grande do Norte, 1930-1934. Brasília: Edição do Senado Federal, 1984.

MICELI, Sergio. Biografia e cooptação (estudo atual das fontes para a história social e política das elites do Brasil). In: MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 345-356.

MOTTA, Rodrigo Patto de Sá. Introdução à História dos Partidos Políticos Brasileiros. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

MOURELLE, Thiago Cavaliere. Guerra pelo poder: a Câmara dos Deputados confronta Vargas (1934-1935). Tese (Doutorado em História). Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2015.

NOLL, Maria Izabel e TRINDADE, Hélgio. Rio Grande do Sul: partidos e eleições (1823-1990). Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1991.

OLIVEIRA, Ricardo Costa de. Nota sobre a política paranaense de 1930 a 1945. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, v. 1, n. 9, p. 47-56, 1997.

OLIVEIRA, Ricardo Costa de. O silêncio dos vencedores: genealogia, classe dominante e Estado do Paraná (1853-1930). Curitiba: Moinho do Verbo, 2001.

PRADO, Maria Lígia Coelho. A democracia ilustrada: o Partido Democrático de São Paulo, 1926-1934. São Paulo: Ática, 1986.

RAMOS, Plínio de Abreu. O PSD mineiro. Belo Horizonte: Itatiaia, 1993.

RAMOS, Plínio de Abreu. Os partidos paulistas e o Estado Novo. Petrópolis: Vozes, 1980.

RÉMOND, René. Uma história presente. In: RÉMOND, René (org.). Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003, p. 13-36.

RICCI, Paolo (org.). O autoritarismo eleitoral dos anos trinta e o Código Eleitoral de 1932. Curitiba: Appris, 2019.

ROSANVALLON, Pierre. Por uma história do político. São Paulo: Alameda, 2010.

SAMPAIO, Consuelo Novais. Os partidos políticos na Bahia da Primeira República: uma política de acomodação. 2. ed. Salvador: Ed. UFBA, 1998.

SERRATTO, Edgar Bruno Franke. A Ação Integralista Brasileira e Getúlio Vargas: antiliberalismo e anticomunismo no Brasil de 1930 a 1945. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

SILVA, Estevão; SILVA, Thiago. Eleições no Brasil antes da democracia: o Código Eleitoral de 1932 e os pleitos de 1933 e 1934. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, v. 23, n. 56, p. 75-106, 2015.

STONE, Lawrence. Prosopografia. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 39, p.115-137, 2011.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

GOMES, S. A. R. Políticos destituídos e competição partidária em um contexto estadual:: o perfil social e o desempenho eleitoral dos candidatos da União Republicana Paranaense em 1934. História Revista, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 322–353, 2021. DOI: 10.5216/hr.v26i2.61494. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/historia/article/view/61494. Acesso em: 28 maio. 2022.