O antigo estado de coisas

apontamentos para a história dos povos indígenas no sul da província do Espírito Santo

Resumo

No início do século XIX, quartéis instalados às margens do recém ampliado caminho que ligava o porto de Itapemirim a região das Minas tentavam garantir a segurança dos fazendeiros e poucos aventureiros que ousavam atravessar a região dominada pelos índios Puri. O receio justificava-se pelo fato de que na Vila de Nova Benevente um grupo de indígenas havia assassinado o capitão-mor Francisco Xavier Pinto Saraiva, em 1833, dirigindo-se, em seguida, para a Vila de Piúma, de onde continuaram representando uma ameaça aos moradores da região. Entre Itapemirim e Muribeca os conflitos entre colonos e os índios Puri, mas também Botocudo, causavam mais e mais vítimas. Tentar compreender o porquê das animosidades entre índios e colonos estarem tão exaltadas no sul da Província do Espírito Santo naquela primeira metade do século XIX é o desafio que propomos neste artigo, mediante a análise de algumas petições, relatórios e documentos que expressam as tensões vividas naquela região desde o período colonial, verificando seu conteúdo e sua relação com a história indígena do Espírito Santo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Bentivoglio, Universidade Federal do Espirito Santo, Vitória, ES, Brasil
Prof. de Teoria e Metodologia da História, membro do PPGHIS-UFES e do Dep. de História
Leonardo Nascimento Bourguignon, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em História e Mestre em Educação, ambos na Universidade Federal do Espírito Santo. Nos últimos anos pesquisou, publicou e apresentou trabalhos com ênfase na História do Espírito Santo, principalmente sobre a História dos Povos Indígenas do sul capixaba. Atua como professor nas escolas públicas Manoel de Paula Serrão, em Iriri/Anchieta-ES e Professora Filomena Quitiba, em Piúma-ES. 

Publicado
22-07-2019
Como Citar
Bentivoglio, J., & Bourguignon, L. N. (2019). O antigo estado de coisas: apontamentos para a história dos povos indígenas no sul da província do Espírito Santo. História Revista, 24(1). https://doi.org/10.5216/hr.v24i1.46582