centro de material e esterilizaçÃO: padrões arquitetônicos e o processamento de artigos

Autores

  • Simone Vieira Toledo Guadagnin Faculdade de Enfermagem
  • Mariusa Gomes Borges Primo Faculdade de Enfermagem
  • Anaclara Ferreira Veiga Tipple Faculdade de Enfermagem
  • Adenícía Custódio Silva Souza Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v7i3.905

Resumo

RESUMO: O Centro de Material e Esterilização (CME) destina-se a receber e lidar com materiais considerados sujos e contaminados, e ao final do processo restituí-los esterilizados (BRASIL, 1994). O Ministério da Saúde (BRASIL, 2002), em relação à planta física recomenda um fluxo contínuo sem retrocesso e sem cruzamento do material limpo com o contaminado. Os objetivos deste estudo foram: identificar os padrões arquitetônicos dos CME dos hospitais de grande e médio porte da cidade de Goiânia e analisar a relação destes padrões com o processamento de artigos. O estudo foi realizado em todos os hospitais de grande e médio portes da cidade de Goiânia, após aprovação por um comitê de ética e consentimento livre das instituições. O estudo foi realizado em 23 hospitais, os dados foram obtidos por meio de cheeck list, após validação e teste, e analisados no programa Epi-Info 6.04. O estudo revelou que 78,3% das instituições possuem CME vinculadas ao Centro Cirúrgico, que 91,3% não possuem áreas específicas, para cada etapa do processamento dos artigos, e ainda a falta de barreira física entre as áreas suja e limpa e ausência de vestiário para os trabalhadores, evidenciando a comunicação entre áreas com diferentes níveis de contaminação. Há predominância de portas de madeira 69,6% que são contra indicadas por conter frestas e saliências, 17,4% dos CME não possuem ralos em todas as áreas e 34,8% não possuem ralos no expurgo. Em 91,3% não existem lavatórios específicos para as mãos. O estudo evidenciou o descumprimento de normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde para a estrutura física do CME que pode exercer influência como dificultadora ao processamento de artigos nos hospitais que fizeram parte do estudo e consequentemente, ao controle de infecção nestas Instituições considerando-se ser a esterilização a principal medida de proteção antiinfecciosa. PALAVRAS-CHAVE: Arquitetura; Esterilização; Infecção Hospitalar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-12-2006

Como Citar

1.
Guadagnin SVT, Primo MGB, Tipple AFV, Souza ACS. centro de material e esterilizaçÃO: padrões arquitetônicos e o processamento de artigos. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 28º de dezembro de 2006 [citado 26º de julho de 2021];7(3). Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/905

Edição

Seção

Artigo Original