GESTAÇÃO DE ALTO RISCO E BAIXO PESO AO NASCER EM GOIÂNIA

Autores

  • Cleusa Alves MARTINS Faculdade de Enfermagem
  • Leilinéia Pereira Ramos de REZENDE Faculdade de Enfermagem
  • Dayane Cristina Silva VINHAS Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v5i1.769

Resumo

RESUMO: Realizou-se estudo a cerca da Doença Hipertensiva Específica da Gestação (DHEG) e Recém-Nascidos de Baixo Peso (RNBP), com os objetivos de verificar a incidência de RNBP em mães com DHEG e apresentar alguns dados epidemiológicos. Os dados foram coletados através de um roteiro. Pesquisamos 239 prontuários de gestantes com DHEG e seus respectivos recém-nascidos, no período de janeiro-1998 a dezembro-2002, em um hospital público de Goiânia. Constatamos que 69,70% das mães tiveram filhos com peso menor que 2500 g, levando-nos a concluir que a DHEG influencia na incidência de RNBP, visto que em menos de 50% dos casos, houve o nascimento pré-termos. A maioria das mães era primigestas. Mais de 50% destas fizeram pré-natal, porém, apenas 39,70% realizaram mais de seis consultas. Em 82,85% dos casos, a via de parto foi cesariana. PALAVRAS CHAVES: Pré-eclâmpsia; Eclampsia; Recém-nascido de Baixo Peso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21-12-2006

Como Citar

1.
MARTINS CA, REZENDE LPR de, VINHAS DCS. GESTAÇÃO DE ALTO RISCO E BAIXO PESO AO NASCER EM GOIÂNIA. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 21º de dezembro de 2006 [citado 26º de janeiro de 2022];5(1). Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/769

Edição

Seção

Artigo Original