Modelo de crenças em saúde e vulnerabilidade ao HIV: percepções de adolescentes em Fortaleza-CE

Autores

  • Ana Carolina Lobo dos Santos Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró
  • Fabiane do Amaral Gubert Universidade Federal do Ceará
  • Neiva Francenely Cunha Vieira Universidade Federal do Ceará
  • Patrícia Neyva da Costa Pinheiro Universidade Federal do Ceará
  • Stella Maia Barbosa Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v12i4.6492

Palavras-chave:

Adolescente, Vulnerabilidade em Saúde, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Enfermagem

Resumo

doi: 10.5216/ree.v12i4.6492

O advento da AIDS há mais de 25 anos no cenário epidemiológico mundial, traz consigo a discussão acerca de comportamentos sexuais, crenças e valores. Dentre os modelos e teorias, que auxiliam na compreensão da exposição ao risco para o HIV, destaca-se o Modelo de Crenças em Saúde. O modelo enfatiza que o comportamento em relação a uma ameaça à sua saúde, é dependente de quatro variáveis: percepção de susceptibilidade; de severidade; benefícios e barreiras percebidas. Objetivou-se identificar a percepção de vulnerabilidade de adolescentes do sexo masculino, acerca das DST/HIV. Estudo qualitativo teve como cenário uma escola pública em Fortaleza-CE. Os informantes foram 16 adolescentes com idade entre 14 e 18 anos. A coleta de informações ocorreu em maio e junho de 2008, através de entrevista semi-estruturada, baseada nas variáveis propostas no modelo. Os adolescentes identificam mais benefícios do que barreiras no que concerne à prevenção das DST. Em relação aos benefícios percebidos, são associados ao uso de preservativo e ainda a melhorias no diálogo entre parceiros sexuais. É mister que o Enfermeiro fomente medidas preventivas e de Educação em Saúde junto aos adolescentes, que favoreçam a reflexão acerca da vulnerabilidade às DST/HIV e seu impacto na qualidade de vida.

Descritores: Adolescente; Vulnerabilidade em Saúde; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Lobo dos Santos, Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró

Enfermeira. Enfermeira, Programa Saúde da Família, Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró/RN. Mossoró, RN, Brasil. E-mail: carolina.acls@yahoo.com.br.

Fabiane do Amaral Gubert, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF), Universidade Federal do Ceará. Bolsista CAPES. Fortaleza, CE, Brasil. E-mail: fabianegubert@hotmail.com.

Neiva Francenely Cunha Vieira, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. PhD em Educação em Saúde. Docente do PPGENG/UFC. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPQ. Fortaleza, CE, Brasil. E-mail: neivafrancenely@hotmail.com.

Patrícia Neyva da Costa Pinheiro, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do PPGENG/UFC. Fortaleza, CE, Brasil. E-mail: neyva.pinheiro@yahoo.com.br.

Stella Maia Barbosa, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. Mestranda em Enfermagem, PPGENG/UFC. Bolsista FUNCAP. Fortaleza, CE, Brasil. E-mail: stellinha_maia@hotmail.com.

Downloads

Publicado

31-12-2010

Como Citar

1.
Santos ACL dos, Gubert F do A, Vieira NFC, Pinheiro PN da C, Barbosa SM. Modelo de crenças em saúde e vulnerabilidade ao HIV: percepções de adolescentes em Fortaleza-CE. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 31º de dezembro de 2010 [citado 21º de janeiro de 2022];12(4):705-10. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/6492

Edição

Seção

Artigo Original