Caracterização demográfica e morfométrica das síndromes hipertensivas da gestação

Autores

  • Larissa Faquim Bazaga
  • Sanívia Aparecida de Lima Pereira Universidade de Uberaba
  • Renata Calciolari Rossi Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Camila Lourencini Cavellani Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Camila Souza de Oliveira Guimarães Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Ana Karina Marques Salge Universidade Federal de Goiás
  • Vicente de Paula Antunes Teixeira Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Eumenia Castro da Cunha Castro Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Rosana Rosa Miranda Corrêa Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v11.47119

Palavras-chave:

Gravidez, Hipertensão, Morfologia, Placenta

Resumo

As Síndromes Hipertensivas da Gestação (SHG) possuem intensidade variável de acordo com seu tipo. Com este estudo objetivou-se descrever as características demográficas materno- fetais e as alterações morfométricas placentárias nos diferentes tipos de SHG, pela análise retrospectiva dos prontuários de pacientes hipertensas, com placentas avaliadas morfologicamente, processadas para imunohistoquímica utilizando anticorpo monoclonal anti-human CD31 e analisadas morfometricamente. Os resultados demonstraram que, entre as SHG, os grupos com Hipertensão Crônica (HC) e Pré-eclâmpsia sobreposta à Hipertensão Crônica (PSHC) apresentaram idade materna superior (p=0,017). A freqüência das SHG foi superior entre as multíparas. Menor idade gestacional, menores índices de Apgar e pesos placentários inferiores ao esperado para a população (p<0,05) foram observados nos casos com Pré-eclâmpsia (PE) e PSHC. Não houve diferença no número de vasos das vilosidades tronco placentárias. Nas demais, houve aumento nos casos com PE e Hipertensão Gestacional (HGE) e redução nos casos com PSHC. A importância do estudo consiste na descrição demográfica e morfológica nas SHG, visando melhorar o atendimento obstétrico e a compreensão dos diferentes tipos de SHG. A gravidade do quadro clínico das SHG tem relação com maiores intercorrências materno-fetais e com alterações no padrão vascular placentário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Faquim Bazaga

Enfermeira E-mail: larissa_bazaga@hotmail.com

Sanívia Aparecida de Lima Pereira, Universidade de Uberaba

Odontóloga. Doutora em Patologia Geral. Professora da Universidade de Uberaba. E-mail: sanivia.pereira@uniube.br

Renata Calciolari Rossi, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta. Mestre em Patologia Geral. Pós-Graduanda da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). E-mail: renatacalciolari@terra.com.br

Camila Lourencini Cavellani, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Biomédica, Mestre em Patologia Geral. Professor Substituto da UFTM. E-mail: camila@patge.uftm.edu.br

Camila Souza de Oliveira Guimarães, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta, Mestre em Patologia Geral. Pós-Graduanda UFTM. E-mail: camila@patge.uftm.edu.br

Ana Karina Marques Salge, Universidade Federal de Goiás

Enfermeira, Doutora em Patologia Geral. Professor Adjunto da Universidade Federal de Goiás. E-mail: anakarina@fen.ufg.br

Vicente de Paula Antunes Teixeira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Médico, Doutor em Patologia Geral. Professor Titular da UFTM. E-mail: vicente@patge.uftm.edu.br

Eumenia Castro da Cunha Castro, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Médica, Pós-Doutora em Patologia Pediátrica. Professor Adjunto da UFTM. E-mail: eumenia@patge.uftm.edu.br

Rosana Rosa Miranda Corrêa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Enfermeira, Doutora em Patologia Geral. Professor Adjunto da UFTM. E-mail: rosana@patge.uftm.edu.br

Downloads

Publicado

01-06-2017

Como Citar

Bazaga, L. F., Pereira, S. A. de L., Rossi, R. C., Cavellani, C. L., Guimarães, C. S. de O., Salge, A. K. M., Teixeira, V. de P. A., Castro, E. C. da C., & Corrêa, R. R. M. (2017). Caracterização demográfica e morfométrica das síndromes hipertensivas da gestação. Revista Eletrônica De Enfermagem, 11(3). https://doi.org/10.5216/ree.v11.47119

Edição

Seção

Artigo Original