O (des)cuidado de si do profissional de enfermagem

Autores

  • Maria Aparecida Baggio Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Descuidado de si, Cuidado, Enfermagem.

Resumo

Este é um estudo exploratório descritivo de abordagem qualitativa que objetivou compreender o significado do (des)cuidado de si dos profissionais de enfermagem. Os sujeitos selecionados são auxiliares e técnicos de enfermagem e enfermeiros atuantes em rede pública e particular de saúde. Os dados foram coletados por meio de entrevista estruturada para a caracterização dos sujeitos e entrevista semi-estruturada para conhecer os posicionamentos individuais sobre o tema em questão. O registro dos dados foi audiogravado, sendo os mesmos, posteriormente, transcritos, conferidos e submetidos à análise. Assim, o trabalho foi dividido em categorias e subcategorias que se configuraram em capítulos. Num primeiro momento analiso o significado do cuidado do outro, e procuro demonstrar, nas atitudes do profissional, o cuidado verbal e não-verbal imbuído de empatia, a sensibilidade com a dor do outro e, ainda, o envolvimento com o cliente como atitude terapêutica. Num momento posterior, busco trazer o significado do (des)cuidado de si, que compreende os aspectos sócio-educativo-cultural, atenção e convivência com a família e amigos, valorização da interioridade do eu. A atenção aos aspectos físicos e estéticos foi mencionada como cuidado de si e, o inverso, foi lembrado como descuidado. O fator tempo foi ressaltado como um grande problema ao descuido de si, a alimentação não contempla o equilíbrio e a atenção que merece, o profissional faz uso constante da automedicação e o trabalho influencia para o não cuidado de si. Na seqüência, trato do (des)cuidado de si enquanto cuida do outro que confirma a negligência do profissional de enfermagem ao cuidado de si enquanto cuida do outro. E, na última parte deste trabalho, procuro discorrer sobre a enfermagem e suas relações na construção do profissional ressaltando a conjugação e a interdependência do trabalho em enfermagem e a vida pessoal dos sujeitos. Nesta relação enfatizo a realização de dupla jornada de trabalho para garantir melhores salários, longas jornadas de trabalhos, às vezes, insalubres, a convivência com superiores que apresentam formas de poder inquestionável, o déficit de comunicação com a equipe multiprofissional, mantenedora de um relacionamento interpessoal gerador de insatisfação e competição, propugnando a necessidade de se ressignificar tais relações na medida em que entendo que o cuidado de si destes profissionais é, decididamente, condição imprescindível ao cuidado do outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Baggio, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde Humana pela Universidade do Contestado (UnC). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PEN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bolsista do CNPq. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração de Enfermagem e Saúde (GEPADES) na UFSC. Professora Substituta do Departamento de Enfermagem da UFSC. Florianópolis/SC.

Downloads

Publicado

15-05-2017

Como Citar

1.
Baggio MA. O (des)cuidado de si do profissional de enfermagem. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 15º de maio de 2017 [citado 31º de julho de 2021];10(4). Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/46847

Edição

Seção

Resumo