Estresse e transtornos mentais comuns em trabalhadores de enfermagem

Autores

  • Jorge Luiz Lima da Silva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Estresse, Transtornos mentais, Equipe de enfermagem, Saúde do trabalhador, Ambiente de trabalho.

Resumo

O estresse é referido em estudos científicos como fator relevante no processo de determinação de agravos à saúde, incluindo os trabalhadores da saúde. O trabalho da equipe de enfermagem a coloca sob tensão e à mercê de riscos, dentre os quais os psicossociais e emocionais. Este estudo objetivou analisar a exposição ao estresse no trabalho, tendo como desfecho a ocorrência de transtornos mentais comuns (TMC) entre profissionais de enfermagem. Trata-se de um estudo seccional realizado com 1182 trabalhadores de um hospital federal localizado no Município do Rio de Janeiro. A variável independente ¾ estresse no trabalho ¾ foi investigada através da escala resumida Job Stress Scale, adaptada para o português por Alves e colaboradores. O Modelo Demanda-Controle de Karasek e Theorell foi utilizado para avaliar as dimensões psicossociais estudadas. A variável dependente TMC foi avaliada de acordo com a versão reduzida do Self Reporting Questionnaire. A prevalência de TMC encontrada foi 23,6%, sendo 20,9% entre os trabalhadores permanentes e 26,4% entre temporários (p= 0,027). As maiores prevalências de TMC foram observadas no sexo feminino, entre os mais jovens, de maior escolaridade e sem filhos. Profissionais com trabalho de alta exigência (alta demanda e baixo controle) apresentaram 3,6 vezes (IC 95%: 1,95-6,61) mais TMC do que aqueles com trabalho de baixa exigência (baixa demanda e alto controle). Em relação as variáveis laborais, as maiores prevalências observadas foram para profissionais com turno misto, alta carga horária e esforço físico acima da média encontrada. Na análise estratificada das categorias de estresse e do grau de demanda e controle no trabalhado, foi observado nítido gradiente tipo dose resposta. Foi constatada associação entre a exposição às dimensões de estresse e suspeição de TMC, após o controle do confundimento introduzido pelas variáveis, sexo, idade, carga horária, turno, grau de esforço físico no trabalho e vínculo empregatício. Os resultados apontam para a necessidade de medidas de intervenção na organização do trabalho, com o intuito de diminuir o estresse no trabalho promovendo a saúde mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jorge Luiz Lima da Silva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Pós-Graduado em Ativação de Processos de Mudanças ENSP/FIOCRUZ. E-mail: jorgeluizlima@vm.uff.br.


Downloads

Publicado

15-05-2017

Como Citar

1.
Silva JLL da. Estresse e transtornos mentais comuns em trabalhadores de enfermagem. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 15º de maio de 2017 [citado 17º de outubro de 2021];10(4). Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/46846

Edição

Seção

Resumo