Educação em saúde com prostitutas de Fortaleza: relato de experiência

Autores

  • Maria Leonor Costa de Moraes Universidade Federal do Ceará
  • Priscila Bomfim Costa Universidade Federal do Ceará
  • Priscila de Souza Aquino Universidade Federal do Ceará
  • Ana Karina Bezerra Pinheiro Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10.46823

Palavras-chave:

Educação em saúde, Prostituição, Enfermagem

Resumo

As prostitutas, mesmo estando informadas sobre as DST nos seus aspectos clínicos, sentem dificuldade na manutenção do uso do preservativo. Percebe-se que o fator econômico é sentido por elas de forma mais concreta do que a necessidade de cuidar de sua saúde. Assim, realizou-se este estudo com o objetivo de relatar a experiência de educação em saúde com prostitutas atuantes em Fortaleza no ambiente da sala de espera da consulta de Enfermagem em Ginecologia no ano de 2006. Participaram das oficinas 55 mulheres, distribuídas em seis dias. As oficinas foram divididas em cinco momentos: auto-valorização; exame ginecológico; auto-estima; concorrência, competição e autoconfiança; direitos das mulheres e violência contra a mulher. Verificou-se que o trabalho de educação em saúde em grupo de prostitutas viabiliza sentimento de inclusão social, eqüidade e auto-valorização, pois as participantes se identificaram entre si, refletindo a sua circunstância pessoal na condição de trabalho, vida e saúde. Fortaleceram as relações humanas e transformaram alguns conteúdos abordados em aprendizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Leonor Costa de Moraes, Universidade Federal do Ceará

Acadêmica de Enfermagem do 5° semestre da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET-Enfermagem-UFC). E-mail: leonor_morais2004@yahoo.com.br

Priscila Bomfim Costa, Universidade Federal do Ceará

Acadêmica de Enfermagem do 6º semestre da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET-Enfermagem-UFC). E-mail: priscilinhapbc@yahoo.com.br

Priscila de Souza Aquino, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira.  Mestranda em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará. Bolsista CAPES. E-mail: priscilapetenf@yahoo.com.br.

Ana Karina Bezerra Pinheiro, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto II da Universidade Federal do Ceará. E-mail: anakarina.pinheiro@bol.com.br

Downloads

Publicado

15-05-2017

Como Citar

Moraes, M. L. C. de, Costa, P. B., Aquino, P. de S., & Pinheiro, A. K. B. (2017). Educação em saúde com prostitutas de Fortaleza: relato de experiência. Revista Eletrônica De Enfermagem, 10(4). https://doi.org/10.5216/ree.v10.46823

Edição

Seção

Relato de Experiência