Conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado do esquizofrênico

Autores

  • Sueli Aparecida de Castro Hospital Santa Tereza de Ribeirão Preto
  • Antonia Regina Ferreira Furegato Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10.46763

Palavras-chave:

Enfermagem psiquiátrica, Esquizofrenia, Conhecimento, Comunicação.

Resumo

Em sua prática, os enfermeiros enfrentam dificuldades na implementação do cuidado ao esquizofrênico. O objetivo deste trabalho foi identificar conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado esquizofrênico. O presente estudo realizado em 2004 é do tipo exploratório-descritivo, com análise quali-quantitativa. Participaram da entrevista 17 dos 20 enfermeiros de um hospital público, 8 fizeram especialização em Enfermagem Psiquiátrica e a maioria prefere trabalhar com doentes mentais crônicos. Os enfermeiros e a equipe de enfermagem referem dificuldades no manejo dos pacientes esquizofrênicos com sintomas de heteroagressividade, delírios, alucinações e imprevisibilidade. Há poucas referências a respeito do aumento da autonomia do paciente e da participação da família no procedimento terapêutico. A maior dificuldade dos enfermeiros reside na comunicação e nas relações interpessoais. Concluindo, os enfermeiros cuidam dos pacientes de acordo com a sintomatologia, demonstram preocupação com a assistência prestada e relatam a necessidade de buscar maior conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sueli Aparecida de Castro, Hospital Santa Tereza de Ribeirão Preto

Enfermeira do Hospital Santa Tereza de Ribeirão Preto, mestranda em Enfermagem Psiquiátrica. E-mail: castrossueli@hotmail.com

Antonia Regina Ferreira Furegato, Universidade de São Paulo

Prof. Titular do Depto de Enfermagem Psiquiátrica Ciências Humanas da EERP/USP. E-mail: furegato@eerp.usp.br

Downloads

Publicado

15-05-2017

Como Citar

Castro, S. A. de, & Furegato, A. R. F. (2017). Conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado do esquizofrênico. Revista Eletrônica De Enfermagem, 10(4). https://doi.org/10.5216/ree.v10.46763

Edição

Seção

Artigo Original