Acurácia e confiabilidade na medida da glicemia em pacientes críticos adultos: revisão integrativa

  • Laura Menezes Silveira Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Simone Costa Silva Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Maíza Cláudia Vilela Hipólito Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física
  • Simone de Godoy Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Angelita Maria Stabile Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Palavras-chave: Glicemia, Confiabilidade dos Dados, Cuidados Críticos, Unidades de Terapia Intensiva, Testes Imediatos

Resumo

A mensuração fidedigna da glicemia no paciente crítico é essencial para a assistência segura. Vieses na medição podem resultar na obtenção de valores imprecisos, levando a equipe a interpretar equivocadamente os resultados, modificando erroneamente as condutas terapêuticas. Neste estudo, objetivou-se buscar na literatura a produção existente sobre os fatores relacionados a acurácia e a confiabilidade das medidas de glicemia de pacientes assistidos em UTI, por meio de busca nas bases de dados Cinahl, Pubmed, Web of Science, Scopus e Biblioteca Virtual em Saúde. As evidências de 18 artigos que versavam sobre a acurácia e a confiabilidade da verificação da glicemia, mostraram aspectos como: método de mensuração, tipo de amostra, características do paciente crítico e manuseio do aparelho. A equipe deve ponderar sobre as vantagens e limitações de cada método considerando a sua realidade e a segurança do paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Menezes Silveira, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira, Mestre em Enfermagem Fundamental. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Fundamental, nível Doutorado, da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: lauramsilveira@yahoo.com.br.
Simone Costa Silva, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Fundamental, nível Mestre, da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: si.costa@yahoo.com.
Maíza Cláudia Vilela Hipólito, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física

Enfermeira, Mestre em Educação Física. Discente do Programa de Pós-Graduação em Educação Física, nível Doutorado, Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, Brasil. E-mail: maizavilela@yahoo.com.br.

Simone de Godoy, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professor Doutor da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: sig@eerp.usp.br.
Angelita Maria Stabile, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira, Doutora em Fisiologia. Professor Doutor da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: angelita@eerp.usp.br.
Publicado
17-04-2018
Como Citar
Silveira, L., Silva, S., Hipólito, M. C., Godoy, S., & Stabile, A. (2018). Acurácia e confiabilidade na medida da glicemia em pacientes críticos adultos: revisão integrativa. Revista Eletrônica De Enfermagem, 20. https://doi.org/10.5216/ree.v20.46567
Seção
Artigo de Revisão