A violência sexual infanto-juvenil sob a ótica dos informantes-chave

Autores

  • Helena Hemiko Iwamoto Universidade Federal do Triangulo Mineiro
  • Renata Cobo de Oliveira Universidade Federal do Triangulo Mineiro
  • Fernanda Carolina Camargo Universidade Federal do Triangulo Mineiro
  • Laureni Conceição Tavares Universidade Federal do Triangulo Mineiro
  • Lorena Peres de Oliveira Universidade Federal do Triangulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v12i4.11699

Palavras-chave:

Abuso sexual da criança, Violência sexual, Assistência integral à saúde da criança e do adolescente.

Resumo

doi: 10.5216/ree.v12i4.11699

A violência sexual infanto-juvenil apresenta-se como problema de saúde pública por se tratar de um fenômeno complexo e de difícil enfrentamento. Para caracterizar os casos de abuso e exploração sexual infanto-juvenil na região do Triângulo Mineiro/Minas Gerais, realizou-se este estudo de natureza descritiva, transversal e exploratória, por meio de entrevistas com os informantes-chave, no período de julho de 2008 a dezembro de 2009. Dos 26 municípios investigados, houve relato de ocorrência de abuso e exploração sexual infanto-juvenil em 21 municípios (80,8%). A maioria das vítimas é do sexo feminino (83,2%), chegando a quase 90% em algumas microrregiões. As vítimas mais frequentes foram as crianças e os adolescentes, da faixa etária entre 13 e 17 anos de idade (51,0%). O seio familiar é o lócus mais comum destes casos de violência (68,6%). Os resultados apontam que o abuso e exploração sexual infanto-juvenil é uma realidade preocupante na região pesquisada indicando a urgência em se buscar estratégias que possam dar maior visibilidade ao fenômeno e traçar mecanismos para sua prevenção, em uma ação conjunta entre profissionais de diversas áreas de atuação, mormente os da saúde, em razão de se tratar de um complexo problema de saúde pública.

Descritores: Abuso sexual da criança; Violência sexual; Assistência integral à saúde da criança e do adolescente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Hemiko Iwamoto, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professor Adjunto, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Uberaba, MG, Brasil. E-mail: helena.iwamoto@gmail.com.

Renata Cobo de Oliveira, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Enfermeira. Mestranda em Atenção a Sáude, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado em Atenção à Saúde (PPGAS), UFTM. Uberaba, MG, Brasil. E-mail: renatacobo@hotmail.com.

Fernanda Carolina Camargo, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Enfermeira. Mestranda em Atenção a Sáude, PPGAS, UFTM. Uberaba, MG, Brasil. E-mail: fernandaccamargo@yahoo.com.br.

Laureni Conceição Tavares, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Enfermeira. Mestranda em Atenção a Sáude, PPGAS, UFTM. Uberaba, MG, Brasil. E-mail: laurenitavares@gmail.com.

Lorena Peres de Oliveira, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Enfermeira. Mestranda em Atenção a Sáude, PPGAS, UFTM. Uberaba, MG, Brasil. E-mail: lorenaenfer@gmail.com.

Downloads

Publicado

31-12-2010

Como Citar

1.
Iwamoto HH, Oliveira RC de, Camargo FC, Tavares LC, Oliveira LP de. A violência sexual infanto-juvenil sob a ótica dos informantes-chave. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 31º de dezembro de 2010 [citado 21º de janeiro de 2022];12(4):647-54. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/11699

Edição

Seção

Artigo Original