Desigualdades e privilégios no trabalho em saúde pública: percepções de profissionais de educação física

  • Ricardo Lira de Rezende Neves Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Educação Física e Dança
  • Luis Otávio Teles Assumçao Universidade Católica de Brasília
Palavras-chave: Educação Física. Profissões. Dissidências. Sistema Único de Saúde

Resumo

Neste artigo analisamos as desigualdades e privilégios no trabalho em serviços de Saúde Pública de uma região de Goiânia. Fizemos entrevistas com nove profissionais de Educação Física de quatro instituições da Secretaria Municipal de Saúde desta cidade. O material coletado foi analisado a partir da técnica de Análise de Conteúdo, com apoio do software Webqda. O acúmulo de determinado capital cultural traduzido em saberes e habitus, o tempo de experiência de intervenção, a divisão do trabalho e as hierarquias profissionais demonstram as disputas de poder no campo profissional, muitas vezes, com o próprio consentimento das profissões dominadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Lira de Rezende Neves, Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Educação Física e Dança

Prof. Dr. Faculade de Educação Física e Dança da Universidade Fedeal de Goiás. Membro do gupo ECOS de pesquisa.

Luis Otávio Teles Assumçao, Universidade Católica de Brasília

Professor no programa de pós-graduaçao em educação Física da Universidade Católica de Brasília

Publicado
18-09-2020
Como Citar
Neves, R. L. de R., & Assumçao, L. O. T. (2020). Desigualdades e privilégios no trabalho em saúde pública: percepções de profissionais de educação física. Pensar a Prática, 23. https://doi.org/10.5216/rpp.v23.59011
Seção
Artigos Originais