O envelhecimento do professor de Educação Física Escolar: repercussões na saúde, prática profissional e cotidiano laboral

  • Murilo Cabral Gomes Escola de Educação Física e Desportos / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ.
  • Alan Camargo Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.
  • Alexandre Moraes de Mello Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.
  • Sílvia Maria Agatti Lüdorf Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.
Palavras-chave: Escola, Corpo, Esporte, Lazer

Resumo

Este estudo, de caráter qualitativo, teve como objetivo analisar como o processo de envelhecimento, para professores de Educação Física escolar, pode repercutir na saúde, na prática profissional e no cotidiano laboral. Foram entrevistados(as) 12 professores(as), formados entre 1970 e 1980 e na faixa etária entre 46 e 66 anos, que atuavam em escolas públicas do Rio de Janeiro há mais de 20 anos. Os dados foram tratados com base na análise de conteúdo. Os resultados indicaram que, embora o ruído ocupacional e o desgaste corporal em geral tenham sido os principais aspectos que impactam na saúde e na prática profissional dos professores na escola, os saberes da experiência cotidiana auxiliam esses docentes a lidarem com o passar dos anos na profissão.

Palavras-chave: Docentes. Escola. Educação Física. Condições de Trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Murilo Cabral Gomes, Escola de Educação Física e Desportos / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ.

Mestre em Educação Física pela Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Membro do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes (NESPEFE/ EEFD-UFRJ)

Alan Camargo Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.
Doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Membro do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes (NESPEFE/ EEFD-UFRJ).
Alexandre Moraes de Mello, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.
Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Professor da Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEFD-UFRJ)
Sílvia Maria Agatti Lüdorf, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Educação Física e Desportos. Rio de Janeiro, RJ.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora da Escola de Educação Física e Desportos e Coordenadora do Núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NESPEFE/ EEFD-UFRJ)

Publicado
12-05-2020
Como Citar
Gomes, M. C., Silva, A. C., de Mello, A. M., & Lüdorf, S. M. A. (2020). O envelhecimento do professor de Educação Física Escolar: repercussões na saúde, prática profissional e cotidiano laboral. Pensar a Prática, 23. https://doi.org/10.5216/rpp.v23.54710
Seção
Artigos Originais