A realização do sistema supersérie com diferentes segmentos corporais não impacta no volume e percepção subjetiva de esforço

  • Ricardo Reis Dinardi Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas
  • Guilherme Augusto Coelho Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas
  • Lucas Furtado de Barros Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas
  • Rodrigo César Ribeiro Diniz Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • José Mauro Silva Vidigal Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas
  • Hugo César Martins-Costa Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas
Palavras-chave: Treinamento de força, sistema de treinamento, volume, percepção subjetiva de esforço.

Resumo

O objetivo do estudo foi comparar os sistemas tradicional(TRAD) e supersérie (SS) quanto ao número de repetições (volume) e percepção subjetiva de esforço (PSE) nos exercícios supino e extensão de joelhos. Doze homens treinados realizaram de forma randomizada (medidas repetidas) os protocolos em sistemas TRAD e SS (4 séries com pausas de 2 minutos, intensidade de 10 repetições máximas). No sistema SS, cada série do exercício banco extensor foi realizada durante a pausa do exercício supino. Não houve diferença significativa no volume (TRAD supino - série 1: 16,1 ± 1,6; série 2: 10,9 ± 2,1; série 3: 7,8 ± 2,3; série 4: 7,0 ± 2,0; TRAD extensão de joelhos – série 1: 13,1 ± 2,5; série 2: 11,0 ± 2,0; série 3: 9,1 ± 1,7; série 4: 7,6 ± 1,6; SS supino – série 1: 16,3 ± 2,3; série 2: 10,9 ± 1,6; série 3: 7,8 ± 1,9; série 4: 6,1 ± 1,4; SS extensão de joelhos – série 1: 13,8 ± 1,8; série 2: 11,2 ± 1,6; série 3: 8,8 ± 1,7; série 4: 7,0 ± 1,7) e na PSE (TRAD supino - mediana série 1: 15,0; mediana
série 4: 19,5; TRAD extensão de joelhos - mediana série 1: 17,0; mediana série 4: 19,5; SS supino - mediana série 1: 16,5; mediana série 4: 20,0; SS extensão de joelhos - mediana série 1: 17,5; mediana série 4: 19,5) entre os protocolos. Verificou-se redução do volume e aumento da PSE no decorrer das séries em ambas situações experimentais. Considerando a similaridade dos resultados obtidos entre os sistemas SS e TRAD, a
aplicação de SS torna-se uma alternativa eficiente para a redução do tempo de treinamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Reis Dinardi, Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas

Doutor em Ciências da Saúde - UFMG

Grupo de estudos em condicionamento físico em academias de ginástica (GECFAG) - PUC Minas. 

http://lattes.cnpq.br/9290483882746640

Guilherme Augusto Coelho, Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas

Bacharel em Educação Física - PUC Minas

http://lattes.cnpq.br/2151838120664669

Lucas Furtado de Barros, Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas

Bacharel em Educação Física - PUC Minas

http://lattes.cnpq.br/3804473869127109

Rodrigo César Ribeiro Diniz, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutor em Ciências do Esporte - UFMG

http://lattes.cnpq.br/1015202118694686

José Mauro Silva Vidigal, Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas

Mestre em Ciências do Esporte - UFMG

Grupo de estudos em condicionamento físico em academias de ginástica (GECFAG) - PUC Minas.

http://lattes.cnpq.br/9473320393875166

Hugo César Martins-Costa, Pontifícia Universidade Católica - PUC Minas

Doutor em Ciências do Esporte - UFMG

Grupo de estudos em condicionamento físico em academias de ginástica (GECFAG) - PUC Minas.

http://lattes.cnpq.br/8025215323375161

Publicado
17-04-2020
Como Citar
Dinardi, R. R., Coelho, G. A., Barros, L. F. de, Diniz, R. C. R., Vidigal, J. M. S., & Martins-Costa, H. C. (2020). A realização do sistema supersérie com diferentes segmentos corporais não impacta no volume e percepção subjetiva de esforço. Pensar a Prática, 23. https://doi.org/10.5216/rpp.v23.53661
Seção
Artigos Originais