“Não é briga, não... é só brincadeira de lutinha”: cotidiano e práticas corporais infantis

  • Mayrhon José Abrantes Farias Universidade de Brasília (UnB)
  • Ingrid Dittrich Wiggers Universidade de Brasília (UnB)
  • Dulce Maria Filgueira de Almeida Universidade de Brasília (UnB)
Palavras-chave: Crianças, Corpo, Brincadeira, Violência

Resumo

A pesquisa tem por objetivo descrever e caracterizar brincadeiras de luta forjadas no cotidiano de uma escola pública de São Luís – MA, buscando compreender seus sentidos/significados para as próprias crianças. Realizou-se estudo de inspiração etnográfica, em que a análise das informações obtidas permitiu identificar três eixos, que conferem às brincadeiras os seguintes sentidos: imaginação/representação, disputa/duelo e prazer/vertigem. Os episódios registrados sugerem que, seja por intermédio das mídias, de vivências na comunidade ou na escola, as práticas analisadas são (re)criadas através da experiência infantil. Apreendeu-se, ainda, que o lúdico e a violência/agressividade coexistem nas práticas corporais observadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayrhon José Abrantes Farias, Universidade de Brasília (UnB)
Doutorando em Educação Física pelo Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade de Brasília (PPGEF/UnB). Mestre em Educação Física pela mesma instituição. Licenciado em Educação Física, com núcleo de aprofundamento curricular em Lazer, pela Universidade Federal do Maranhão. É professor efetivo da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Membro do IMAGEM - Grupo de pesquisa sobre corpo e Educação (FEF/UnB). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar e Metodologia do ensino das lutas na escola. Tem interesse de pesquisa nas seguintes áreas: Didática da Educação Física; Sociologia do cotidiano; Sociologia da infância; Mídias e Educação (Física).
Ingrid Dittrich Wiggers, Universidade de Brasília (UnB)
Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003), Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Maria (1990), Licenciada em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1983). Atualmente é Professora Associado da Universidade de Brasília (UnB). Credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UnB, desde 2009, vinculada à Linha Estudos Socias e Pedagógicos da Educação Física, Esporte e Lazer. Ao mesmo tempo é credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação da UnB, desde 2014, atuando como coordenadora da Linha Estudos Comparados em Educação. Integra a Comissão de Pós-graduação do Programa de Pós-graduação em Educação da UnB, desde 2016. Realizou estágio de Pós-doutorado na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), entre agosto de 2014 e julho de 2015, com bolsa do CNPq. Foi pesquisadora visitante da University of Chicago (UC) e do Center for Dewey Studies da Southern Illinois University (SIU), nos EUA, em 2014. Igualmente, foi pesquisadora visitante do Iberoamerikanisches Institut e da Staatsbibliothek zu Berlin, na Alemanha, em 2015. Além disso, também atuou como pesquisadora visitante da University of Illinois at Chicago (UIC), nos EUA, em 2016. Coordenadora do Imagem - Grupo de Pesquisa sobre corpo e educação, formado por pesquisadores, estudantes e professores de Educação Básica. Integrante do núcleo da Rede CEDES da UnB, desde 2009, além de outros grupos de pesquisa, como o Grupo Interdisciplinar de Pesquisa Sobre a Infância (GIPI), Grupo Regional e Internacional de Estudos Comparados em Educação (GRIECE) e Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil no DF (HISTEDBR-DF). É membro do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE), da Associação Nacional de Pós-graduação em Educação (ANPED), da International Standing Conference for the History of Education (ISCHE), da American Educational Research Association (AERA) e da National Association for Media Literacy Education (NAMLE). Dedica-se à pesquisa dos seguintes temas, principalmente: estudos comparados em educação, didática da educação física, aspectos sociohistóricos sobre o corpo, infância, mídia-educação, escola, desenho infantil e história da educação física.
Dulce Maria Filgueira de Almeida, Universidade de Brasília (UnB)
Realizou Pós-Doutorado na Universidade de Maryland/US (2014-2015 - bolsa do CNPq). Possui Pós-Doutorado em Sociologia pela Universidad de Salamanca/ES (Bolsa CAPES); Doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília (2001); Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (1996); Bacharelado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (1993) e Bacharelado em Direito pela Universidade Estadual da Paraíba (1994). Atualmente é Professora Associada IV da Universidade de Brasília, atuando na Faculdade de Educação Física e no Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília, na graduação e na pós-graduação. Foi Coordenadora do curso de graduação em Educação Física da Universidade de Brasília e Vice-Presidente do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte. É membro da Sociedade Brasileira de Sociologia e da International Sociological Association, vinculada ao RC -54 The body in the Social Sciences. Desenvolve pesquisas nas áreas: sociologia do corpo, sociologia do lazer e sociologia do meio ambiente, políticas públicas. Coordena o Núcleo de Estudos do Corpo e Natureza - Grupo de pesquisa certificado pelo CNPq (2004) e é membro do Núcleo da Rede Cedes da Universidade de Brasília.
Publicado
29-03-2019
Como Citar
Farias, M., Wiggers, I., & Almeida, D. (2019). “Não é briga, não. é só brincadeira de lutinha”: cotidiano e práticas corporais infantis. Pensar a Prática, 22. https://doi.org/10.5216/rpp.v22.50247
Seção
Artigos Originais