CONTROLE DE SI, DOR E REPRESENTAÇÃO FEMININA ENTRE LUTADORES(AS) DE MIXED MARTIAL ARTS

  • Samuel Oliveira Thomazini UFES
  • Cláudia Emília Aguiar Moraes UFES
  • Felipe Quintão Almeida UFES/UFSC
Palavras-chave: Esporte de combate, Educação do corpo, Identidade.

Resumo

Trata-se de uma pesquisa realizada em três academias especializadas em Mixed Marcial Arts (MMA). Analisa alguns elementos indispensáveis à forja identitária de lutadores(as) desta modalidade. A etnografia durou sete meses, oportunidade para combinar uma observação participante (devidamente registrada no diário de notas) com a realização de entrevistas semi-estruturadas com os(as) atletas. Fotografias e filmagens dos locais de treinamento e de competição foram recursos metodológicos também úteis. Os resultados indicam a existência de processos bioidentitários vinculados ao controle de si e à racionalização da dor, apontando, além disso, para uma representação ambígua em relação à presença feminina em um universo ainda predominantemente masculino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Oliveira Thomazini, UFES
Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (CEFD/UFES).
Cláudia Emília Aguiar Moraes, UFES

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo. Concluiu o Mestrado pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Educação e Educação Física, com ênfase nas discussões concernentes à História da Educação Física, Esporte, Lazer e Trabalho, atuando também nas seguintes temáticas da área: Formação de Professores, Políticas Públicas para o Esporte e Lazer, História da Educação Física, História do Esporte e Sociologia do Esporte.

Felipe Quintão Almeida, UFES/UFSC

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (CED/UFSC). Doutorando em Educação pela mesma instituição (CED/UFSC). Tem experiência na área de Educação e Educação Física, com ênfase nas discussões concernentes às suas atividades epistemológicas. Compõe a equipe editorial da Revista Brasileira de Ciências do Esporte (RBCE) e a comissão científica do Grupo de Trabalho Temático Epistemologia, ambos do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE). Entre outros trabalhos, destaca-se a co-autoria do livro Emancipação e diferença na educação: uma leitura com Bauman (São Paulo: Autores Associados, 2006).

Publicado
16-02-2009
Como Citar
Thomazini, S., Moraes, C. E., & Almeida, F. (2009). CONTROLE DE SI, DOR E REPRESENTAÇÃO FEMININA ENTRE LUTADORES(AS) DE MIXED MARTIAL ARTS. Pensar a Prática, 11(3), 281. https://doi.org/10.5216/rpp.v11i3.4992
Seção
Artigos Originais