Descolonização de sujeitos monstros no game Undertale: uma reflexão com a psicologia social.

  • Arthur Galvão Serra Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Marcelo Victor da Rosa Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Palavras-chave: Psicologia Social, Atividades de Lazer, Violência.

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar contribuições de três autores clássicos das teorias críticas dos discursos colonialistas, fazendo reflexões a partir da análise do game Undertale. O primeiro autor, Franz Fanon, fornece aportes para o entendimento da ação descolonizadora na produção de subjetividades. O Orientalismo de Edward Said aponta para discursos científicos legitimadores da colonialidade e a institucionalização da psicologia científica no Brasil. Por fim, Mohandas Gandhi problematiza estratégias de resistência situadas de violência e não-violência. Com a análise das trajetórias de descolonização, o jogo Undertale e as estratégias relacionadas aos autores possibilitaram abertura na cristalização da colonização do outro e sua legitimação pela bestialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Galvão Serra, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

(Arthur Galvão Serra): Cursando Doutorado em Estudos de Cultura Contemporânea na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Mestre em psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Membro do Grupo de Estudos e Investigação Acadêmica nos Referenciais Foucaultianos (GEIARF), coordenado por seu orientador Antônio Carlos do Nascimento Osório. Especialista em Terapia de Família e Casal pelos Mosaico do Rio de Janeiro (primeiro semestre) Instituto Gruppos de Santa Catarina (segundo a quarto semestres). Psicólogo pela universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Professor de Tratamento e prevenção psicológica na UFMS. Supervisor, professor e co-terapeuta de terapia de família na abordagem narrativa de Michael White pelo instituto Kenneth Martin Coelho. Já atuou como docente nas disciplinas de psicologia social e filosofia da educação. Com experiência de debatedor grupo de estudos em terapia de família, pesquisa genealógica, governamentalidade, biopolítica, articulações da psicologia com arte, educação, linguística, história e antropologia.

Marcelo Victor da Rosa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

(Marcelo Victor da Rosa): Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998), mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004) e Doutorado em Educação na Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2016). Atualmente é professor adjunto 2 da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Desempenhou o papel de tutor do PET Educação Física de fevereiro de 2010 a julho de 2014 e sou Diretor Artístico do Bailah: grupo coreográfico em dança de salão. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar, Dança, Ginástica, Gênero e Corpo, tendo como principal referência teórica Michel Foucault.

Publicado
29-03-2019
Como Citar
Serra, A., & da Rosa, M. (2019). Descolonização de sujeitos monstros no game Undertale: uma reflexão com a psicologia social. Pensar a Prática, 22. https://doi.org/10.5216/rpp.v22.49903
Seção
Artigos Originais