A INSERÇÃO DE HOMENS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ENTRE O MEDO DAS SEXUALIDADES DESVIANTES E A (RE)PRODUÇÃO DE UM CURRÍCULO HETERONORMATIVO

  • André Luiz dos Santos Silva Universidade Feevale; Centro Universitário Metodista do Sul - IPA
  • Richard Simon Ávila
Palavras-chave: Gênero. Educação Infantil. Educação Física. Docência.

Resumo

Este texto analisa os atravessamentos de gênero no processo de inserção de professores homens na Educação Infantil. Com base nos pressupostos teórico-metodológicos da História Oral, foram entrevistados dois professores de Educação Física e duas diretoras da rede privada de ensino. Após transcritos, os depoimentos foram analisados na articulação com o conceito de gênero e por meio dos procedimentos da “Análise de Conteúdo”. Ao longo do processo de inserção na Educação Infantil, os professores tiveram sua sexualidade questionada, ao passo que sua atuação nesse nível da educação foi legitimada pela “necessidade de uma referência masculina para os alunos. Ao mesmo tempo que os professores necessitam ser vigiados, sua presença garantiria a manutenção de um currículo heteronormativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz dos Santos Silva, Universidade Feevale; Centro Universitário Metodista do Sul - IPA
Doutor em Ciências do Movimento Humano (ESEF/UFRGS). Docente nos cursos de Educação Física e Pedagogia da Universidade Feevale e Centro Universitário Metodista do Sul - IPA.
Publicado
29-06-2018
Como Citar
dos Santos Silva, A. L., & Ávila, R. S. (2018). A INSERÇÃO DE HOMENS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ENTRE O MEDO DAS SEXUALIDADES DESVIANTES E A (RE)PRODUÇÃO DE UM CURRÍCULO HETERONORMATIVO. Pensar a Prática, 21(2). https://doi.org/10.5216/rpp.v21i2.47421
Seção
Artigos Originais