IMPACTO DE 12 SEMANAS DE PRÁTICA DE PILATES SOLO NA FORÇA DE PREENSÃO MANUAL, RESISTÊNCIA ABDOMINAL E NA FLEXIBILIDADE AVALIADA POR FOTOGRAMETRIA EM MULHERES SAUDÁVEIS

  • Jean Carlos Loura Santos Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rodrigo Luiz Vancini Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo
  • Karine Jacon Sarro Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas http://orcid.org/0000-0002-9449-0228
Palavras-chave: Fotogrametria, Amplitude de movimento articular, Força muscular

Resumo

Este estudo avaliou o efeito do Pilates solo na força e flexibilidade de mulheres saudáveis. O grupo controle (GC; n=11) manteve a prática de atividade física habitual; o grupo Pilates (GP; n=11) praticou Pilates solo (60 minutos, duas vezes semanais) por 12 semanas. Foram avaliadas: a flexibilidade por fotogrametria, a força de preensão manual pelo dinamômetro e a resistência abdominal pelo número de repetições do exercício abdominal realizado em um minuto. No GP houve aumento significativo da resistência abdominal (12,5%) e na força de preensão esquerda (33%); no GC houve aumento da força de preensão direita (38,5%). Não foram observadas diferenças na flexibilidade. Doze semanas de Pilates solo foram suficientes para melhorar a aptidão muscular de mulheres saudáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-06-2017
Como Citar
Carlos Loura Santos, J., Luiz Vancini, R., & Jacon Sarro, K. (2017). IMPACTO DE 12 SEMANAS DE PRÁTICA DE PILATES SOLO NA FORÇA DE PREENSÃO MANUAL, RESISTÊNCIA ABDOMINAL E NA FLEXIBILIDADE AVALIADA POR FOTOGRAMETRIA EM MULHERES SAUDÁVEIS. Pensar a Prática, 20(2). https://doi.org/10.5216/rpp.v20i2.40616
Seção
Artigos Originais