O MITO DO KINESIOLOGOS OU SOBRE A CONSTITUIÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA COMO CIÊNCIA

Autores

  • Edison de Jesus Manoel Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo - São Paulo

Palavras-chave:

Educação Física, Cinesiologia, Disciplina Acadêmica, Profissão

Resumo

A constituição da Educação Física como ciência é objeto de reflexão do presente ensaio. Optou-se pelo uso de uma linguagem ficcional cuja figura central é o Kinesiologos, um entidade divina ocupada em desvendar sua principal criação: o ser humano em movimento. Com o uso da noção de mito se pretendeu, num contraponto à linguagem racional e acadêmica, que a Cinesiologia leva à fragmentação do conhecimento, distanciando-se dos problemas e questões da educação física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edison de Jesus Manoel, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo - São Paulo

Professor Titular da Universidade de São Paulo. Licenciado em Educação Física (USP, 1980); Especializado em Técnica Esportiva - Atletismo (USP, 1983); Mestre em Educação Física (USP, 1989); Doutor em Psicologia do Desenvolviemnto/Experimental (University of Sheffield, Inglaterra, 1993); Livre Docente em Pedagogia do Movimento Humano (USP, 1998). Coordenador do Grupo de Estudo do Desenvolvimento da Ação e Intervenção Motora - Laboratório de Pedagogia do Movimento Humano - EEFEUSP.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1732682414878070

Downloads

Publicado

31-03-2016

Como Citar

Manoel, E. de J. (2016). O MITO DO KINESIOLOGOS OU SOBRE A CONSTITUIÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA COMO CIÊNCIA. Pensar a Prática, 19(1). Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/39480

Edição

Seção

Ensaios