QUALIDADE DE VIDA DE ADULTOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA GRANDE FLORIANÓPOLIS, SC

  • Roger Lima Scherer Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luciano Lazzaris Fernandes Universidade Federal de Santa Catarina
  • Markus Vinicius Nahas Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Qualidade de Vida, Deficiência Visual, Percepção

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar qualidade de vida (q.v.) em adultos com deficiência visual (d.v.). Foram entrevistados 168 pessoas (18 a 59 anos). Para a coleta de dados foi utilizado uma entrevista semi-estruturada. A percepção de q.v. apresentou uma tendência quando analisado sob o período de incidência da deficiência. Quanto mais tarde as pessoas adquiriram a d.v., menor foi sua percepção positiva com relação à q.v. As mulheres jovens, sem companheiros, com nove anos ou mais de estudo, que trabalham, foram as que apresentaram melhor percepção de q.v entre os adultos com d.v. Deve-se pensar em estratégias de promoção para saúde, com viés de melhorias na q.v. dos adultos que apresentaram uma prevalência maior para a percepção negativa.

Palavras Chaves: Qualidade de Vida. Deficientes Visuais. Condições de Vida. Estilo de Vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roger Lima Scherer, Universidade Federal de Santa Catarina
Professor Substituto do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina
Luciano Lazzaris Fernandes, Universidade Federal de Santa Catarina
Professor do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina
Markus Vinicius Nahas, Universidade Federal de Santa Catarina
Professor Aposentado de Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina
Publicado
30-12-2014
Como Citar
Scherer, R. L., Fernandes, L. L., & Nahas, M. V. (2014). QUALIDADE DE VIDA DE ADULTOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA GRANDE FLORIANÓPOLIS, SC. Pensar a Prática, 17(4). https://doi.org/10.5216/rpp.v17i4.29050
Seção
Artigos Originais