SOBRE LAZER E POLÍTICAS SOCIAIS: QUESTÕES TEÓRICO-CONCEITUAIS

  • Flávia da Cruz Santos Universidade Estadual de Campinas
  • Sílvia Cristina Franco Amaral Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Lazer, Políticas Públicas, Direito Social.

Resumo

Neste ensaio discutimos o tratamento que o lazer vem recebendo do Estado brasileiro e debatemos o motivo de tal tratamento, diferenciando política de Estado e política de governo. O lazer está frequentemente, nas políticas sociais, subordinado a setores como saúde, educação, esporte, segurança e previdência social, e está, em geral, impregnado de proposições compensatórias e funcionalistas, como se não possuísse significados e sentidos nele mesmo. Ou está ausente em políticas que tem como objeto a cultura, de acordo com seus próprios implementadores. O que evidencia formas de conceber o lazer. Demonstra que ele não vem sendo entendido como tendo sentidos e significados nele mesmo, mas apenas como meio de objetos de outras políticas alcançarem seus objetivos. A nossa pergunta é: como conceber uma política de Estado para o lazer? 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia da Cruz Santos, Universidade Estadual de Campinas

Licenciada e Bacharel em Educação Física pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestranda em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas.  Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=W344879

Sílvia Cristina Franco Amaral, Universidade Estadual de Campinas

Professora doutora da Faculdade de Educação Física da Unicamp. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Públicas e Lazer. Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4797714E6

Publicado
21-12-2010
Como Citar
Santos, F. da C., & Amaral, S. C. F. (2010). SOBRE LAZER E POLÍTICAS SOCIAIS: QUESTÕES TEÓRICO-CONCEITUAIS. Pensar a Prática, 13(3). https://doi.org/10.5216/rpp.v13i3.10175
Seção
Ensaios