RISCO DE SOBREPESO E OBESIDADE EM SOLDADOS DO CORPO DE BOMBEIROS

  • Lúcio Kerber Canabarro Universidade Federal de Pelotas
  • Airton José Rombaldi Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: IMC, perímetro abdominal, obesidade, obesidade visceral, bombeiros.

Resumo

O estudo objetivou avaliar o risco de obesidade e obesidade visceral de soldados do Batalhão do Corpo de Bombeiros de Pelotas-RS e relacionar com o tempo de serviço dos militares. O índice de massa corporal (IMC), calculado a partir das medidas de peso e estatura, e o perímetro abdominal (PA) foram coletados de todos os soldados ativos do batalhão. Os sujeitos foram divididos em G1 - soldados com menos de 5 anos de serviço (n=14) e G2 - soldados com mais de 5 anos de serviço (n=33). O grupo G1 apresentou tempo de serviço de 1,9 (±1,3) anos, IMC de 23,6 (±3,7) kg/m2 e PA de 84,2 (±8,5) cm. O grupo G2 teve tempo de serviço de 15,4 (±5,9) anos, IMC de 27,5 (±3,9) Kg/m2 e PA de 97,1 cm (±9,8). Houve diferença significante entre os grupos, estando os soldados do G2 em pior situação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcio Kerber Canabarro, Universidade Federal de Pelotas
Programa de Pós-graduação em Educação Física - Universidade Federal de Pelotas - Brasil
Airton José Rombaldi, Universidade Federal de Pelotas
Programa de Pós-graduação em Educação Física - Universidade Federal de Pelotas - Brasil
Publicado
21-12-2010
Como Citar
Canabarro, L. K., & Rombaldi, A. J. (2010). RISCO DE SOBREPESO E OBESIDADE EM SOLDADOS DO CORPO DE BOMBEIROS. Pensar a Prática, 13(3). https://doi.org/10.5216/rpp.v13i3.10169
Seção
Artigos Originais