RISCO DE SOBREPESO E OBESIDADE EM SOLDADOS DO CORPO DE BOMBEIROS

Lúcio Kerber Canabarro, Airton José Rombaldi

Resumo


O estudo objetivou avaliar o risco de obesidade e obesidade visceral de soldados do Batalhão do Corpo de Bombeiros de Pelotas-RS e relacionar com o tempo de serviço dos militares. O índice de massa corporal (IMC), calculado a partir das medidas de peso e estatura, e o perímetro abdominal (PA) foram coletados de todos os soldados ativos do batalhão. Os sujeitos foram divididos em G1 - soldados com menos de 5 anos de serviço (n=14) e G2 - soldados com mais de 5 anos de serviço (n=33). O grupo G1 apresentou tempo de serviço de 1,9 (±1,3) anos, IMC de 23,6 (±3,7) kg/m2 e PA de 84,2 (±8,5) cm. O grupo G2 teve tempo de serviço de 15,4 (±5,9) anos, IMC de 27,5 (±3,9) Kg/m2 e PA de 97,1 cm (±9,8). Houve diferença significante entre os grupos, estando os soldados do G2 em pior situação.

Palavras-chave


IMC, perímetro abdominal, obesidade, obesidade visceral, bombeiros.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5216/rpp.v13i3.10169

A Revista Pensar a Prática é indexada por:
 
Sport Information Resource Centre