Foco e Escopo

A Revista Pensar a Prática, baseada na perspectiva do debate plural e interdisciplinar na produção do conhecimento científico, publica artigos pertinentes ao campo acadêmico-científico da Educação Física em interface com as Ciências Humanas e Sociais, em seus aspectos pedagógicos, históricos, socioculturais e filosóficos. É editada sob a responsabilidade institucional da Faculdade de Educação Física e Dança da Universidade Federal de Goiás e publicada em fluxo contínuo. As submissões podem ser realizadas a qualquer tempo, em sistema de demanda contínua.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os trabalhos encaminhados à Pensar a Prática serão avaliados em duas etapas:

1. Avaliação de normalização: Logo que o artigo é submetido, este passa por um processo de avaliação de normalização (contagem de número de caracteres, formas de citações, links ativados, preenchimento correto dos metadados, verificação da qualidade de tabelas e figuras e checagem da retirada das identificações de autoria). Havendo correções, serão solicitadas ao autor que terá o prazo máximo de 15 dias para fazer as devidas adequações e encaminhá-las para avaliação de mérito.

2. Avaliação de mérito: Passada a avaliação de normalização, o texto/manuscrito é submetido aos editores que farão uma primeira avaliação de mérito, considerando o escopo e a política editorial da Pensar a Prática. Não havendo adequação ao escopo e/ou à política editorial o artigo é reprovado por meio de um parecer editorial. Caso esteja adequado o artigo é submetido a um parecerista ad hoc, que o apreciará, observando o sistema de duplo-cego. As opções de pareceres são: "Aprovado para publicação", "Rejeitado para publicação", "Ajustes necessários".

3. Número de artigos em avaliação: Registra-se, ainda, que a Pensar a Prática avaliará simultaneamente até 2 artigos do mesmo autor/coautor. Caso esse limite seja extrapolado a nova submissão será arquivada sem apreciação de mérito.   

Periodicidade

A Revista Pensar a Prática é publicada no formato eletrônico em fluxo contínuo.

Tempo médio de avaliação:

O tempo médio de avaliação de mérito é de 4 a 5 meses e o tempo médio para publicação é de 7 meses.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico proporciona uma das condições básicas para a democratização mundial do conhecimento.

Histórico da Revista

Pensar a Prática avança como veículo de divulgação do conhecimento científico em Educação Física, desde seu lançamento em 1998 até a presente data, caracterizando-se como um dos  principais periódicos científicos do campo da Educação Física com amplo alcance junto a comunidade acadêmica no país, além de progressiva aceitação no exterior como demonstram seus dados.

Na Pensar a Prática pode ser encontrado um importante panorama da pluralidade acadêmico-científica da Educação Física, advindas de diferentes instituições de pesquisa, conferindo-lhe abrangência nacional e internacional e promovendo um diálogo transdisciplinar.

Assim, o constante debate sobre o pluralismo e a universalidade na produção de conhecimento em Educação Física está presente em seu projeto editorial, enfocando problemáticas centrais do campo acadêmico à luz de contribuições de diversos matizes e enfoques nas interfaces com as humanidades e biodinâmicas.

A Pensar a Prática foi lançada em junho de 1998 com periodicidade semestral, entretanto, face às dificuldades administrativas, sobretudo financeiras, a Faculdade de Educação Física/UFG viu-se obrigada a recuar em seu projeto original, adotando no v. 2 n. 1, lançado em setembro de 1999, a periodicidade anual. O mesmo ocorreu com v. 3 n. 1, de outubro de 2000, v. 4 n. 1, de outubro de 2001, v. 5 n. 1, de dezembro de 2002, e v. 6 n. 1, de setembro de 2003. A partir do número 7, a Pensar a Prática recupera o projeto original e é publicada semestralmente com o v. 7 n. 1 em março e v. 7 n. 2 em setembro de 2004, o v. 8 n. 1 em março e v. 8 n. 2 em setembro de 2005, o v. 9 n. 1 em abril e v. 9 n. 2 em setembro de 2006 e o v. 10 n. 1 em março e v. 10 n. 2 em setembro de 2007. Em 2008, passa a ser quadrimestral e em 2012 a periodicidade torna-se trimestral, modelo mantido até a atualidade; durante este período, especificamente no ano de 2009, a revista passa a ser publicada somente no formato eletrônico.

Enfocando questões relativas à Educação Física, ao Esporte e ao Lazer, a Pensar a Prática vincula-se ao campo de conhecimento Educação Física / Ciências do Esporte. Sob responsabilidade anteriormente da Coordenação de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física/UFG, hoje é projeto da unidade. Originalmente atendia apenas ao curso de Especialização em Educação Física Escolar e à Graduação, sendo um local de discussão da prática pedagógica local. Porém, a Pensar a Prática, a partir de 2002, alarga também sua abrangência ao inaugurar dois novos cursos: Especialização em Atividade Física e Saúde e Especialização em Lazer e Educação.

Depois de abordar em seus quatro primeiros volumes a temática da “Educação Física Escolar”, seu quinto volume tratou da “Educação Física e Infância”. Por sua vez, o v. 6 reuniu trabalhos sobre “Dança e Educação”; o v.7 n. 1 trouxe a “Atividade Física e Saúde” e o n. 2 abordou “Metodologia de Ensino de Educação Física”. O v. 8 n. 1 foi sobre “Os Jogos Olímpicos e o Fenômeno Esportivo” e o n. 2 com o “Educação Física, Corpo e Cultura”; o v. 9 n. 1 trouxe a temática do “Lazer e Educação” e o n. 2 a “Formação de Professores em Educação Física”; o v.10 n. 1 foi sobre “Futebol” e o n. 2 sobre “Educação Física e Tecnologia”, o v. 11 n. 1 tratou da “Pedagogia do Esporte” e o n. 2, “Educação Física Adaptada”.

A partir do v. 11, n. 3, a Pensar a Prática, em consonância com a política editorial atual, passa a não ser mais temática e a receber manuscritos demanda contínua. Renova-se, também, a organização interna da revista, passando a contar com quatro seções: Artigos Originais, Artigos de Revisão, Ensaio e Resenhas.

Em 2009, a Revista passa a ser publicada somente no formato eletrônico. Por fim, mais recentemente, em 2019, a Revista alterou o seu escopo permanecendo vinculada ao campo acadêmico-científico da Educação Física, porém estando articulada exclusivamente com as Ciências Humanas e Sociais. Além disso, nesse mesmo ano, passou a publicar em fluxo contínuo. 

Patrocinadores

A Pensar a Prática conta com o financiamento do Programa de Apoio às Publicações Científicas da PRPI-UFG.

Durante o período de 2007 a 2011 contou com financiamento do Programa de Apoio Científico e Tecnológico do Ministério do Esporte. No período entre 2014 e 2015 volta a receber apoio financeiro do Ministerio do Esporte.