As políticas de desenvolvimento entre a sedução e a sedação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v23i.61564

Resumo

O trabalho analisa a relação entre agricultores ecologistas e o Estado no oeste de Santa Catarina através da ação de mediadores. Dois aspectos desta conexão são examinados. Primeiramente, o espaço de atuação e o poder dos mediadores estabelecendo articulações entre os diferentes níveis da ação estatal (federal, estadual e local) e as organizações. Em segundo lugar, o tema do desenvolvimento e do Estado na condução de políticas e programas de intervenção. Resultados de pesquisa de campo de orientação etnográfica – conduzida entre 2008 e 2009 – sustentam, por um lado, que os mediadores possuem papel capital ao preencherem espaços potencialmente dinâmicos, estabelecendo relações e construindo formas de promoção da agricultura. De outro lado, a investigação mostra que, a partir deste amálgama de relações, o Estado é interpretado de modo ambivalente entre o desejo e a repulsa por parte dos agricultores, portanto cobrado por ações e simultaneamente avaliado por intervenções problemáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme F. Waterloo Radomsky, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Professor Associado do departamento de Sociologia e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Downloads

Publicado

14-05-2020

Como Citar

Radomsky, G. F. W. (2020). As políticas de desenvolvimento entre a sedução e a sedação. Sociedade E Cultura, 23. https://doi.org/10.5216/sec.v23i.61564

Edição

Seção

Artigos Livres