Trabalho e gênero: permanências e desafios

  • MAGDA DE ALMEIDA NEVES PUC-Minas

Resumo

Resumo: O rápido processo de mudanças na economia global nos últimos anos e a reestruturação produtiva reconfiguraram as relações de gênero no trabalho. A entrada cada vez maior do contingente feminino no mercado de trabalho, além de dar visibilidade às relações que se engendram na esfera privada , apresenta um conjunto de novas experiências vivenciadas pelas mulheres no local de trabalho e no contexto mais amplo da própria sociedade. Nestes últimos anos a dinâmica flexível do processo produtivo acarretou o crescimento significativo do trabalho informal, em um processo caracterizado pela sua heterogeneidade e também pela forma sistêmica de interação entre o setor formal e o informal. O objetivo do presente artigo é analisar o trabalho em domicílio realizado por mulheres para a indústria de confecção numa cidade de porte médio em Minas Gerais. O enfraquecimento da regulação do trabalho e dos direitos sociais possibilitam a multiplicação dessas atividades precarizadas, gerando flexibilização do contrato de trabalho, das condições de trabalho, da jornada de trabalho e uma extensão/interação entre espaço privado/doméstico e espaço econômico/produtivo. Palavras-chave: trabalho feminino; industria de confecção; flexibilização do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MAGDA DE ALMEIDA NEVES, PUC-Minas
Doutora em Sociologia pela USP e professora do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da PUC-Minas.
Publicado
05-12-2007
Como Citar
NEVES, M. D. A. (2007). Trabalho e gênero: permanências e desafios. Sociedade E Cultura, 9(2). https://doi.org/10.5216/sec.v9i2.483
Seção
Dossiê