Precarização e informalização do trabalho feminino urbano no Goiás contemporâneo

  • FRANCINE BASILE UEG

Resumo

Resumo: O presente estudo procura analisar, a partir dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad, IBGE), em quais condições de emprego e renda cresceu a participação feminina no mercado de trabalho do estado de Goiás. O intuito é tentar identificar, quantificar e compreender os graus envolvidos de informalização e precarização das condições, relações e ganhos do trabalho feminino na atual dinâmica do mercado de trabalho goiano. A informalidade é aqui tratada como um movimento de degradação da qualidade das ocupações exercidas e de precarização das formas de inserção da mão-deobra feminina no mercado de trabalho. Os critérios utilizados têm como base a evolução das taxas de participação da mão-de-obra na PEA, os níveis de desemprego e rendimento, a estrutura ocupacional da PEA e as modificações no grau de formalização das ocupações segundo gênero e setor da atividade econômica em Goiás ao longo dos anos compreendidos entre 1993 e 2003. Palavras-chave: trabalho; gênero; informalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

FRANCINE BASILE, UEG
Professora da Universidade Estadual de Goiás – UnUCSEH - UEG.
Publicado
05-12-2007
Como Citar
BASILE, F. (2007). Precarização e informalização do trabalho feminino urbano no Goiás contemporâneo. Sociedade E Cultura, 9(2). https://doi.org/10.5216/sec.v9i2.477
Seção
Dossiê