Trabalho associado, autogestão e arquitetura popular: uma experiência exitosa

Autores

  • Maria Rosa Lombardi Fundação Carlos Chagas

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v14i1.15713

Palavras-chave:

trabalho associado, autogestão, sociologia do trabalho, relações de gênero, arquitetura

Resumo

O artigo analisa os principais resultados de pesquisa sobre uma organização de trabalho associado entre arquitetos(as), sediada na cidade de São Paulo. Dedicam-se à assessoria técnica para habitação popular e estão ativos desde 1990. Atualmente, congrega 12 associados, 11 arquitetos(as) e um cientista social. Trata-se de um coletivo jovem, pois seus associados têm entre 25 e 36 anos. A pesquisa objetivou recuperar a ‘história de vida’ do empreendimento, identificar e analisar eventuais mudanças
na organização do trabalho, nos seus objetivos e nas atividades. Procurou conhecer, também, a divisão sexual do trabalho técnico e a avaliação dos(as) associados(as) sobre essa experiência alternativa de trabalho e as expectativas para o futuro. Metodologicamente, a pesquisa se define como estudo de caso e, para a coleta de dados, utilizou a análise documental, as entrevistas pessoais (18, com associados e ex-associados) e a observação participante durante reuniões de trabalho do coletivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Rosa Lombardi, Fundação Carlos Chagas

Downloads

Publicado

2011-09-21

Como Citar

LOMBARDI, M. R. Trabalho associado, autogestão e arquitetura popular: uma experiência exitosa. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 14, n. 1, p. DOI: 10.5216/sec.v14i1.15713, 2011. DOI: 10.5216/sec.v14i1.15713. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fcs/article/view/15713. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê