Os banquetes do Yaokwa: potencialidades e limites do cinema e do património entre os Enawenê-nawê

Autores

  • Rodrigo Lacerda Universidade Nova de Lisboa e Instituto Universitário de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v22i2.58400

Resumo

O artigo examina a utilização do cinema em processos de patrimonialização não institucional e institucional do ritual Yaokwa do povo Enawenê-nawê em dois momentos históricos diferentes, recorrendo a depoimentos de cineastas e antropólogos indigenistas, à análise fílmica e a bibliografia ameríndia. As obras foram produzidas pelo projeto Vídeo nas Aldeias que, desde os anos 1980, desenvolve um trabalho colaborativo com comunidades indígenas na área do audiovisual. O primeiro documentário foi realizado num contexto de reflexão interna sobre a relação a estabelecer com a sociedade colonial. O segundo filme foi produzido quinze anos depois como parte do processo de patrimonialização institucional do ritual Yaokwa que tinha como objetivo alertar para os desafios ambientais que vários empreendimentos capitalistas colocavam à manutenção do modo de vida dos Enawenê-nawê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Lacerda, Universidade Nova de Lisboa e Instituto Universitário de Lisboa

Doutor pela Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal e Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, Portugal. Investigador do Centro em Rede de Investigação em Antropologia,
Portugal.

 

Downloads

Publicado

2019-10-06

Como Citar

LACERDA, R. Os banquetes do Yaokwa: potencialidades e limites do cinema e do património entre os Enawenê-nawê. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 22, n. 2, 2019. DOI: 10.5216/sec.v22i2.58400. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fcs/article/view/58400. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê