Imagens da precariedade, governo dos pobres e implicações etnográficas

  • Adriana Santos Fernandes Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Ocupações de moradia, pobres, precariedade, etnografia

Resumo

Através do trabalho de campo em ocupações de moradia situadas no centro do Rio de Janeiro, proponho pensar como a precariedade – imagens, sentidos, efeitos – é importante nessa experiência. O contexto político com a eleição de Lula da Silva para presidente foi algo que favoreceu a cena das ocupações. Poucos anos depoishouve uma retração: o anúncio de um projeto de gentrificação da área, o Porto Maravilha, que tornou-se aos poucos uma política de expulsão de camadas mais pobres da região. Para os moradores que  acompanhei isso resultou na piora das condições materiais e das relações vivenciadas nos prédios ocupados. Abordo aqui como eles
buscaram contornar essas políticas de gentrificação. Na última
seção, a discussão recai sobre algumasdas implicações éticometodológicas suscitadas quando o campo da pesquisa é caracterizado por situações de precariedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
17-12-2018
Como Citar
Santos Fernandes, A. (2018). Imagens da precariedade, governo dos pobres e implicações etnográficas. Sociedade E Cultura, 21(2). https://doi.org/10.5216/sec.v21i2.56322
Seção
Artigos Livres