Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras

  • Adriana Piscitelli Unicamp
Palavras-chave: interseccionalidades, gênero, feminismo, migração, mercado global de trabalho, mercado matrimonial.

Resumo

Neste texto apresento alguns comentários sobre o surgimento de categorias que aludem à multiplicidade de diferenciações que, articulando-se a gênero, permeiam o social. São as categorias de articulação e/ou as interseccionalidades intersectionalities). Analiso o conteúdo atribuído a esses conceitos e considero como eles contribuem para analisar uma problemática relevante no Brasil contemporâneo: a feminização da migração internacional. Na primeira parte do artigo, situo a emergência desses conceitos no marco da história do pensamento feminista. Na segunda parte, considero como suas utilizações adquirem conotações distintas no que se refere à conceitualização das diferenças, das maneiras como o poder opera e das margens de agência (agency) concedidos aos sujeitos em distintas abordagens teóricas. Finalmente, na terceira parte, reflito sobre esses conteúdos levando em conta aspectos vinculados à integração de migrantes brasileiras no mercado global de trabalho e no mercado matrimonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Piscitelli, Unicamp
Doutora em Ciências Sociais - Unicamp Pesquisadora do Pagu - Unicamp
Publicado
18-12-2008
Como Citar
Piscitelli, A. (2008). Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade E Cultura, 11(2). https://doi.org/10.5216/sec.v11i2.5247
Seção
Dossiê